Narcisismo Maligno e Violência na Relação

No início da década de 50 do século passado, as audiências femininas vibraram com Stanley Kowalsky, o personagem interpretado por Marlon Brando no filme Um Eléctrico Chamado Desejo realizado por Elia Kazan e baseado na peça homónima de Tennessee Williams. O protagonista deixava de ser o herói romântico galanteador para ser um homem bruto, alcoólico, capaz de agredir a mulher para depois implorar pelo seu amor. A relação física e emocionalmente abusiva é tolerada pela sua componente erótica, o poder manipulador e animalesco de Stanley conduz Stella à irresistibilidade do ato sexual e à submissão.

O personagem de Brando marcou toda uma geração e reforçou um arquétipo socialmente permitido do poder discricionário do homem face à mulher na relação íntima. O desejo masculino/feminino heterossexual confundiu-se com uma ideia de posse/submissão transformando a mulher num objeto dependente suscetível de ser violentado para poder usufruir do prazer último da sexualidade, ficar à mercê do parceiro dominador.

Continuar a ler

Anúncios