Deixámos de ter sexo

Chamo-me Paulo tenho 39 anos e sou casado à 8 anos com uma mulher maravilhosa, somos pais de um belíssimo filho com 6 anos. A minha esposa não tem desejo sexual e também não sente necessidade do mesmo, isto desde que o nosso filho nasceu.

No tempo de namoro tive que me impor um pouco para que tivesse-mos relações sexuais, as quais não correram lá muito bem. Eu tenho tendência para me excitar em demasia, e na 1ª vez que tivemos relações sexuais não aguentei tanta excitação e masturbei-me antes mesmo da penetração, ela não gostou da situação pois pensava que eu estava a gozar com ela.

Após a 1ª experiência falhada tentamos várias vezes e eu em muitas vezes voltei a ter ejaculação precoce, no entanto com a ajuda dela a nossa vida sexual foi se acertando, até ao ponto de termos quase todos os dias relações sexuais.

Namoramos cerca de 1 ano e decidimos casar, passado meio ano a minha esposa engravidou e começou a ter menos desejo sexual. Após o nascimento do nosso filho o desejo sexual dela foi desaparecendo, tendo uma ou outra vez uma relações um pouco à pressa e sem qualquer vontade por parte dela, eu não, tinha sempre muita vontade em voltar a fazer sexo com a minha esposa. Nas pequenas vezes, raras, que tínhamos relações, ela queixava-se muito que tinha dores e eu com isso excitava-me que consequentemente tinha orgasmos praticamente só de ela me tocar. Passamos a não termos penetração e de tempos e tempos, muito longínquos, eu acercava-me dela e “forçava” o acto sexual. Quando digo força, insistia para que ela tivesse necessidade de ter relações sexuais comigo. Algumas vezes, poucas, a minha esposa, a muito custo, lá me ajudava a masturbar-me, e eu ficava todo contente e também lhe fazia a ela o mesmo, mas sempre contra a vontade dela. As coisas foram se alterado e eu cheguei à conclusão que não valia a pena estar a insistir, quando ela tivesse vontade ela que me procurasse.

Ultimamente tenho notado que ela dá mais atenção as pessoas de fora do que a mim, comecei a ficar desconfiado que ela tivesse outro parceiro e comecei novamente a apertar com ela, sendo que ela sempre me rejeitava, alegando ou que estava mal disposta ou cansada ou porque o filho estava conosco, mil e um desculpas só para não fazermos sexo. Abordei de uma forma um pouco rude, verbalmente, no sentido de voltarmos a ser um casal e não só pais do nosso filho, e após muita insistência minha ela disse-me que não se ia deitar na cama comigo só para fazer sexo, pois não tinha desejo nenhum, não tinha intenções de me servir como as meninas de boa vida fazem. Mais informou-me que já se habituou a viver sem sexo e não sente necessidade nenhuma.

Estou muito triste com este situação, pois eu adoro a minha mulher, e com esta situação de ela não querer ter sexo comigo, está a dar comigo em doido. Segundo ela não tem interesse em fazer sexo comigo nem com ninguém e ficou super zangada com eu desconfie dela. Ela inclusive disse-me que gosta de mim, mas que já não sente necessidade de ter sexo, não sente falta, disse que se nós por ventura nos separarmos ela não vai querer mais nenhum homem e também tem a certeza que não arranjará outro homem melhor do que eu.

Caro Paulo,

O problema que apresenta tem alguma complexidade na medida em que a falta de desejo da sua mulher é anterior ao nascimento do seu filho e não provocada por este. A sua mulher tem um problema de sexualidade que necessita de ser investigado e que foi reforçado negativamente através da dinâmica da relação e da forma como ela sentiu (e atribuiu significado) à sua abordagem sexual bem como do nascimento do seu filho.

Em Portugal, devido às características culturais e sociais do país é frequente as mulheres apresentarem problemas de sexualidade relacionados com a forma como a aprendizagem da sexualidade foi feita e a ideia de que os homens tendem a instrumentalizar as relações para conseguirem ter sexo que é muitas vezes visto como uma forma de objectificação e até abuso das mulheres. Esta ideia é óbviamente uma distorção grave do que deverá ser uma sexualidade saudável no contexto da relação amorosa, em que o sexo é a expressão física do afecto que aproxima e consolida a relação.

Por outro lado, também é comum as mulheres instrumentalizarem a relação sexual como forma de sentirem poder na relação. A pessoa que decide sobre quando e como o casal tem sexo é óbviamente a pessoa que controla uma parte fundamental da relação. Numa sociedade ainda marcada por um certo machismo o controle do sexo era muitas vezes o único recurso das mulheres para conseguirem reinvindicar outras necessidades na relação como atenção, valorização do seu papel etc.

Uma relação intíma sem sexualidade é uma relação disfuncional na medida em que uma parte fundamental da intimidade do casal é negligenciada com consequências óbvias para o funcionamento da relação como por exemplo a frustração que está a sentir e que dá origem a uma resposta cada vez mais inibida da sua mulher e um afastamento do casal. Por outro lado é necessário analisar que outros factores poderão estar na origem na recusa da sua mulher que poderão ser de ordem individual e ou relacional.

Este tipo de problemas têm tratamento e conseguem-se obter bons resultados muitas vezes num período curto de tempo. Se a sua mulher não se quiser tratar, o Paulo terá que ponderar até que ponto deseja permanecer numa relação em que não há sexo. Uma relação sem sexo só poderá fazer sentido se ambas as pessoas quiserem essa opção, caso contrário haverá sempre algum tipo de consequências para a dinâmica do casal que levam muitas vezes à separação ou à procura de sexo fora da relação. O que seria lamentável porque vejo que gosta da sua mulher e ela de si.

Anúncios

99 thoughts on “Deixámos de ter sexo

  1. preciso de ajuda urgente!!!!!!!!!!!!!!!! sou casado a 7 anos tenho 1 filho de 3 anos e a + ou – 1 ano não tenho sexo com qualidade por parte de minha esposa, a + uns 4 mesesnem mesmo sem qualidade perdeu totalmente o desejo sexual por mim e disse q por qualquer q seja o homem… trabalhamos juntos a + de 7 anos somos um casal super feliz em tudo – no sexo,diz não ter prazer e não sentir + vontade e nem saudades de prazer, sempredeixei a satisfeita e sempre fui romantico e faço tudo por ela,estou a beira de uma traição + nãoquero fazer isso,por amor a ela e ao meu filho, o que faço ???? peloamor de deuz….tudo e muito lindo ate q a procuro ou ate mesmo tento a beija- lo nem posso abraça-la nem nada, não aguento + ja gastei$commisturas em bebidas e nada!!com fantasias e nada !!com presentes e nada !!!! somos uma familia muito feliz ” sem sexo”diz ela,,,e diz q me ama,,,, e disse q si quizer vai ser assim daqui por diante eq não vaiseimportar se a trai-la…estou dezesperadopensei emateem um suicidio, para não atrai-la , minha vida so se tem cobranças de prazos e hoharioscommeus cliente (ramo grafico ) edizestar tudo bem p todo mundo e com um sorrizo no rosto,,vc acredita??? lutamosjuntosladoa lado mas esta muito dificio mesmo,,,e o piore q elanão me da nenhum a esperança em termosumavida sexual novamente e tambem diz nao ser nenhum trauma e nenhum motivo o qualeudei a ela ,diznão estardoente e não quer nenhum tipo de ajuda,,,,meu deuz,,,,o q faço???????????????????aamomuitomesmo !!!!!!estou sofrendo muito ,,,,,,,,,,,,,,,,,, socorro,,,,,,,,,,,,,,,,,,

    • Compreendo que deve estar em sofrimento com o dilema que sente relativamente à posição da sua mulher. A situação que descreve requere tratamento através duma terapia de casal. Se a sua mulher não está disposta nem a uma terapia de casal nem individual o Alvaro deverá procurar ajuda terapeutica individual para poder lidar com esta situação e poder decidir de forma reflectida o que precisa de fazer por si, pela sua relação e pelos seus filhos.

  2. Eu namoro a 5 anos e sempre tive uma vida sexual com meu namorado muito morna.
    Nunca fizemos grandes loucuras.
    A um tempo venho percebendo as coisas vem piorando.
    As vezes ficamos quase 2 meses sem transar.
    Já conversamos sobre o assunto e nos propomos a tomar uma atitude para mudar essa situação.
    Ele me fala que não sabe pq isso acontece e quando eu pergunto se isso já aconteceu nos relacionamentos anteriores, ele diz que não.
    Essa situação me preocupa muito pq nós pensamos em nos casar e pretendemos ficar noivos esse ano ainda.
    Não desconfio que ele esteja me traindo ou coisa do tipo mas, fico confusa quando penso no assunto.
    Admito que não sou a mulher mais fogosa do mundo mas estou preocupada.
    Já tive outros relacionamentos e isso nunca aocnteceu.
    Acho que não estou sabendo lidar com esse problema.
    Já pensei em procurar um psicólogo mas meu namorado é totalmente contra.
    Ele disse que eu posso ir mas que ele não vai.
    Diz que vai tentar resolver o nosso problema de outra forma.
    Preciso de ajuda.

    • Cara Lúcia parece-me que o seu namorado está com dificuldade em enfrentar o problema da falta de desejo não só consigo como com ele próprio. A falta de desejo pode ser motivada por diferentes factores desde os orgânicos aos psicológicos tanto derivados da dinâmica relacional como da história sexual e relacional do indivíduo. É uma situação complexa porque podem cruzar-se variáveis conscientes e inconscientes que se traduzem nos sintomas descritos. É comum os homens terem dificuldade em lidar com este tipo de problemas por sentirem que está em causa a sua masculinidade e pelos sentimentos de culpa e vergonha que esta situação lhes pode provocar. Na verdade os problemas de falta de desejo são bastante comuns nos casais e podem ser tratados desde que as pessoas se disponham a procurar ajuda. Como o seu namorado parece não querer colaborar consigo na procura duma solução ou dar-lhe uma resposta que a satisfaça terá de ponderar sobre a forma como a relação funciona quando existe um problema desta natureza e as implicações futuras deste tipo de funcionamento em que você fica excluida da resolução dum problema que afecta o casal. É legitimo esperar maior partilha nestas situaçõs caso contrário instalam-se dúvidas sobre o comportamento do outro que podem causar stress tanto na relação como em si. Por outras palavras este problema mais do que a falta de desejo reflecte um modo de funcionamento da relação em que a Lúcia se sente excluída, podendo assim tirar as ilações necessárias quanto ao tipo de compromisso que deseja para o seu futuro com outra pessoa.

  3. vivo com o meu noivo 3 anos e depois de uns meses temos que descutir por sexo pk ele n tem interesse nenhum teve uns tempos k tinhamos sexo uma vez por mes, e eu nao sei porque? eu adoro sexo e se nao tenho penso k vou ficar doida ele diz k eu n sou normal mas penso k e normal gostar de sexo, agora temos 2 vezes por semana mas nunca com akelas ganas como eu keria nunca fica louco por mim e sexo planeado e sempre com stress pk tem horas sempre a noite nunca pode ser umm momento de loucura e so tenho 22anos e ja sofro pk tenho k chorar para fazer sexo nunca pode ser kando kero tenho k perguntar 1 se ele quer pk eu kero muito e fico como doida dentro de mim mas o mais engracado dps de fazer n gostei e vejo sempre defeitos n sei pk 1 kero mt e dps arrependo ele tem 33 anos preciso de ajuda pk nao kero ter este stress por sexo n kero fazer sexo com ele por um tempo mas como me controlar

    • Cara Elizabeth parece haver algo contraditório na sua queixa. Por um lado deseja ter mais sexo com o seu noivo e por outro lado não gosta e pôe defeitos no que presumo ser o desempenho sexual do seu noivo. É evidente que quanto mais crítica fôr em relação ao desempenho sexual do seu namorado (e até em relação a outros aspectos) menos vontade ele terá de ter sexo consigo porque se sentirá mais afastado de si. O seu desejo constante parece reflectir que deseja controlar a relação ou ter a certeza que ele a deseja e logo gosta de si. A leitora parece estar a testar até que ponto o seu namorado gosta de si e é capaz de tolerar a pressão que está a exercer quando pede para ter sexo e depois o rejeita. Convêm procurar estar próxima do seu namorado no dia-a-dia, saber o que ele sente sobre si e sobre o que está a acontecer na relação e compreender que não é através da relação sexual que se pode validar a si ou até a relação. Por outro lado é normal as pessoas terem níveis de desejo diferentes ao longo do tempo que podem ser afectados por multiplos factores como stress, cansaço, a rotina do casal etc Procure cuidar de si e dê espaço ao seu namorado para se aproximar e desejá-la. O desejo muitas vezes surge em contextos mais descontraídos e romanticos em que os casais estão mais próximos e não existe pressão para assumirem um papel imposto pelo outro.

  4. kero ser forte como ele e n ter vontade para nada kero dar com os ‘pes’ kero fazer como sexo n e importante pra mim mas n consigo parace uma crianca a chorar para ele me dar sexo tou farta

  5. Olá, tenho 29anos sou casada há 6anos,meu marido tem 35,e temos um bebe de 5 meses, antes da gravidez tínhamos uma vida sexualmente ativa sem reclamações. Meu problema começou na gestação quando o meu marido alegou que não tinha desejo por mulheres grávidas, fiquei bastante chateada mas tive que entender achando que tudo voltaria ao normal depois do parto.

    Passaram-se esses 5 meses após o parto e ele nunca me procurou, quando tento conversar sobre o assunto, ele diz que não tem nada demais e que isto é normal, fico bastante magoada porque não engordei nada depois da gestação estou ainda melhor, e mesmo assim dormimos como dois irmãos.

    A gestação foi muito esperada pelos dois, por este motivo não entendo este descaso, ele me trata muito bem, faz planos, mas este desinteresse predomina, sinto que ele me evita até de me olhar nua….mas quando falo sobre a separação ele deixa muito claro que não quer se separar e que me ama muito.

    Gostaria muito de seus conselhos para entender tudo que está acontecendo e qual a melhor direção que devo tomar, pois estou a ponto de me separar.

    Grata,

    Anonima ES

    • Cara leitora o seu marido evidentemente perdeu o desejo por si durante a gravidez o que é uma situação aceitável pois muitas vezes sucedem fénomenos a nível inconsciente que poderão estar neste caso relacionados com alguma rivalidade com o futuro filho, receio de perder a sua atenção, receio de magoar o bébe e a mãe, confusão de papeis na relação etc. Estes receios poderão ser decorrentes de fantasias internas sobre a separação entre o papel de mulher e de mãe que poderão estar relacionadas com o desenvolvimento sexual do seu marido, a relação deste com a mãe ou outras causas de carácter individual ou relacional para os quais não possuo elementos suficientes. Contudo convém sublinhar que a permanência da falta de desejo passados 5 meses depois do nascimento da criança indicia que o seu marido apresenta uma perturbação do desejo em que por qualquer razão a deserotizou. Poderá conversar com o seu marido no sentido deste procurar ajuda para resolver um problema que afecta o casal e em especial a si. Uma relação é um projecto a dois que implica um determinado compromisso com a outra pessoa, nomeadamente a procura activa de soluções para os problemas que o casal enfrenta. Uma possível solução é procurar retomar situações que funcionavam a nível erótico para os dois antes de engravidar, que reforcem a ideia de casal e estimulem a relação sexual como por exemplo um banho a dois seguido duma masagem, o visionameno de filmes eróticos, um jantar romantico etc

  6. Boa noite, sou casado á 9 anos com uma mulher que me excita bastante mas acima de tudo de quem gosto muito apesar de a 3 anos ter mudado por completo a sua maneira de ser e de estar, como também alterou os seus habitos sociais, apesar destas mudanças todas eu tentei me re-adaptar e aceitar esta nova mulher pois na realidade acredito nela e sinto que gosta de mim, mas no que toca a “sexo” tinha-mos uma vida sexual bastante activa que com o passar do tempo se foi desgastando até chegar ao ponto de estar-mos a fazer amor e na altura de ela atingir o orgasmo interroper bruscamente e dizer que ja não se sente atraida por mim… Eu tenho receio de encarar isto como um aviso, pois lá diz o ditado: O ***** de casa e sempre o ultimo a saber….

    • Caro Francisco é normal uma relação passar por ciclos em que varia o desejo pelo outro e em que as pessoas procuram encontrar novos interesses e maneiras de estar. A questão fundamental é saber a razão destas mudanças e as implicações que têm na relação nomeadamente o impacto na outra pessoa, ou melhor a forma como esta poderá responder a estas mudanças. As relações são dinâmicas tal como o indivíduos e por isso as necessidades e motivações de cada um necessitam de ser ponderadas e discutidas pelo casal. A sua mulher deixar de ter desejo por si depois duma fase de mudança a nível individual parece querer expressar que a relação e o leitor passaram a ter um significado diferente para ela. Em vez de o sentir como uma ameaça convêm saber o que a sua mulher pensa sobre o que o leitor está a sentir e que propostas sugere para a relação. Nestas situações convêm demonstrar honestidade e empatia pelo outro com vista a procurar soluções que satisfaçam ambas as partes.

  7. Bom dia! Vivo com o meu namorado há 3 anos e no principio a nossa vida sexul era frequente embora para mim nunca tenha sido muito satisfatória, no entanto as coisas estavam a melhorar e evoluíam com o conhecimento mútuo. Passados alguns meses descobrimos que tinhamos HPV, que percebemos também que foi ele que já tinha anteriormente e me afectou. Apesar de alguma relutância da parte dele, fomos ambos ao médico e andámos em tratamento durante bastante tempo. Apartir dessa altura o desejo dele diminuiu bastante, mas, segundo ele, devido ao problema e ao facto de agora termos de usar preservativo. No entanto reparei que havia uma prática habitual dele consultar conteúdos pornográficos na TV e no PC (vídeos, chats, ets). Nessa altura confrontei-o porque afinal ele não tinha ficado sem desejo sexual, simplesmente deixou de me desejar a mim. Questionei se tinha alguma coisa de errado comigo, cheiro, sabor, comportamento…tudo, mas negou sempre argumentando que me adora e que andava só stressado e a pornografia era um modo de se masturbar e obter prazer rapidamente. Sugeri vermos e fazermos tudo isso em conjunto mas nem isso quis. Entretanto já passou imenso tempo, o factos de stress e falta de tempo já acabaram, estamos tratados do HPV e já não temos de usar preservativo e tudo continua igual. Temos sexo +/- 1vez por mês, sem qualidade por falta de entrega dele, apesar de tudo sinto-me atraída por ele e mesmo já não tendo orgasmo na nossa relação há muito tempo, sinto imensa falta desses momentos. Ele passa a vida em frente à TV ou na net eu agora engravidei e apesar dele estar feliz eu estou bastante receosa. Esta situação nunca me tinha acontecido em relações anteriores (nem com o pai do meu filho com quem tive 8 anos) e ele diz que a ele também não, no entanto ele nunca tinha tido uma relação de + de 6 meses…

    • Boa tarde Sara, parece-me evidente que o seu namorado anda a evitá-la sexualmente, o que provavelmente se deve a tê-la deserotizado devido ao problema do HPV. A relutância em querer procurar ajuda para um problema grave que afectava a sexualidade do casal poderá demonstrar alguma dificuldade do seu namorado em lidar com a sexualidade dele mesmo e com a doença, o que posteriormente se veio a reflectir na diminuição do desejo reforçada negativamente pelo uso do preservativo. A associação do acto sexual consigo e a doença, o que em termos simbólicos implica o receio da morte pode ao nível do inconsciente bloquear o desejo, mesmo que não seja essa a intenção da pessoa. Trata-se duma necessidade arcaica de sobrevivência que se reflecte no medo do contágio e da morte. Convinha o seu namorado procurar ajuda para processar estes medos bem como explorar a sexualidade, a relação e o impacto destas decisões sobre si mesmo e sobre o outro. Normalmente é necessário ajuda terapêutica para desenvolver estratégias apropriadas para contornar o inconsciente.

  8. boa tarde! sou casada ha 12 anos tenho 28 anos e mau esposo tem 35 não sei o que acontece comigo não consigo sentir desejo de jeito neuhm mem um pouquinho sempre que meu marido me procurava fazia mesmo sem vontade só p/ satisfaze-lo não tenho lubrificação fica muito seco uso geo lubricante p/ ameniza. hoje ficamos muito tempo sem ter relção disconfio que ele tem outra pessoa fico imaginando que ela é muito boa na cama coisa que não consigo ser estamos a ponto de uma separação, me preocupo com o fato de no futuro eu encontrar outra pessoa e continuar assim, é muito ruim. gostaria muito de fazer um tratamento mas não tenho condiçoes financeira…..

    • Cara Vilma realmente a situação que descreve requer tratamento pois trata-se duma perturbação do desejo que parece já vir de longe e que precisa de ser devidamente investigada e avaliada. Se vive em Lisboa existem pelo menos duas associações que prestam serviços na área da psicologia clínica e psicoterapia a custos reduzidos: a Associação Lavoisier (www.associacaolavoisier.org) cujo preço de consulta é estipulado mediante os seus rendimentos e a associação Olhar (http://olhar.home.sapo.pt). Também poderá recorrer às consultas da especialidade em sexologia nos hospitais públicos como por exemplo o Hospital de Santa Maria ou no Júlio de Matos. Não deixe arrastar a situação que poderá de facto ter consequências muito negativas para si e para a relação com o seu marido.

  9. Vivo com minha esposa a tres anos e apos o parto cerca de 01 ano e 07 meses, ela perdeu o interesse total por sexo e ate mesmo pelos carinhos mais simples. segundo ela nao entende o que acontece, que me ama e tudo mas nao tem interesse por sexo. temos um convivio muito bom, temos planos futuros e tudo, mas o lado sexual esta deixando a desejar.nao sei o que fazer,pois sou bastante atencioso e companheiro, mas isso esta me matando. e normal o desinteresse por sexo tanto tempo apos o parto?

    • Fiquei sem perceber se o desinteresse sexual aconteceu desde o parto até agora ou só agora. Presumindo tratar-se da primeira hipótese, é de facto possível o desejo ficar inibido durante um período longo de tempo se não houver o tratamento adequado e não forem desenvolvidas as estratégias necessárias para recuperar o desejo. Devo lembrar a todos os leitores que apesar dos problemas do desejo acontecerem com frequência no período pós-parto, se o problema persistir deverão procurar ajuda terapêutica. As perturbações do desejo têm tratamento e normalmente não se resolvem com o passar do tempo, podem até agravar-se como o caso que descreve em que o desejo da sua mulher está completamente inibido. Como também já referi aqui as perturbações do desejo têm normalmente origem em factores psicológicos embora seja sempre vantajoso fazer um despiste médico relativamente a possíveis factores fisiológicos.

  10. sou casado a 18 anos e não tenho relaçoes sexuais com a minha mulher à 18 meses, nem dormimos juntos no decorrer desse tempo, ela prefere dormir na sala a ver televisão e passa todo otempo nocomputador, no facebook ou a trabalhar.
    temos dois fihos com 16 e 13 anos
    ja tentei abordar essa situação de maneira civilizada e construtiva, tambem inclusive com ameaças de que deixava a casa e ia embora, o que para ela não teve qualquer reação e comentando se estas mal muda-te, ameacei tambem que começava a frequentar casas de passe e ela ameaçou-me que punha as malas à porta.
    Nunca tentei fazer esta abordagem junto dos meus filhos, para não perceberem o quanto os pais não se vãoent endendo quanto a este problema.
    Em todos este anos de casado nunca a trai
    Não sei o que fazer,o sexo nos casais é sudavel,e quando não existe e um dos elementos tem essa necessidade, e implica em algumas ocasioes mal estar e quebras de Humor.
    Gostaria de saber quala forma mais correcta de abordar este problema
    obrigado

    • Caro Mário, como já referi aqui no site o sexo reflecte o funcionamento da relação. A sua mulher está a colocar-se numa posição de poder em relação a si ao não estar disponível para ter sexo consigo e simultaneamente evitar abordar o que a está a impedir de o fazer. Esta atitude torna-se mesmo agressiva quando a sua mulher demonstra uma aparente indiferença caso a deixasse, embora provavelmente ela o diga porque pensa que você não teria coragem para o fazer. Por outro lado, a sua mulher está a manipular a sexualidade do casal com intuitos que desconhecemos duma forma que é destablizadora para si e que a longo prazo poderá ser destrutiva da sua auto-estima e equilíbrio emocional. Se a sua mulher não aceita falar consigo sobre as motivações deste comportamento nem recorrer a ajuda, terá de ponderar se merece a pena permanecer na relação. Para isso o Mário poderá recorrer à psicoterapia para processar e tentar encontrar as respostas adequadas a este tipo de situação ou mesmo dar um tempo à relação saindo de casa. Convém evitar envolver os seus filhos antes de estarem esgotadas todas as possibilidades de negociação do casal, embora se decidir sair de casa seja fundamental explicar-lhes que não conseguiram chegar a um entendimento. Tente conversar de novo com a sua mulher mostrando empatia por possíveis dificuldades que esta possa estar a atravessar, disponibilizando-se para a ajudar e expresse as dificuldades que está a sentir com esta situação. O sexo bem como a partilha das partes vulneráveis de cada um são aspectos fundamentais da intimidade do casal sem os quais a relação deixa de fazer sentido.

  11. Prezado, Rui
    O desinteresse aconteceu pouco tempo depois do parto.Tivemos momentos agitados como alteração de horarios para dormir, praticamente ficamos 7 meses sem dormir uma noite se quer, devido ao bebe ficar acordado neste periodo.junto com isso veio outros fatores como por exemplo, construção da casa, trabalho, e afazeres de casa. ela teve algumas crises e chegou a passar mal, fomos a alguns medicos e o relato é de que o cansaço havia tomado conta do corpo e da mente.Segundo alguns medicos o fato do cansaço e desinteresse era normal e que voltaria com o tempo, alguns comentario sobre a perda de hormonio durante o parto que foi cesario. a ultima vez que fomos ao medico cerca de 01 mês,ele nao quis receitar nenhum medicamento e disse para ter paciencia que o tempo seria o remedio. o que voce acha disso tudo?
    obrigado.

    • Caro Carlos a sua situação é semelhante à de muitos casais no período pós-parto (veja o artigo vida sexual pós-parto). Os cuidados intensivos com o bebé, a reorganização dos horários do casal, o cansaço e especialmente o enfoque da mãe no bebé deixam pouco espaço para a vida sexual do casal. Por vezes as pessoas deixam arrastar esta situação durante meses e habituam-se a não ter sexo sendo por vezes muito difícil retomar a vida sexual do casal. O médico tem razão relativamente a não haver nenhum medicamento para este problema porque se trata de um problema eminentemente psicológico mas não tem razão quando diz que o tempo é o único remédio. Pelo contrário deixar o tempo correr e não fazer nada pode agravar a situação e as pessoas podem começar a ficar ressentidas e distantes. A sexualidade do casal é estimulada por vários factores nomeadamente a intimidade e o lado erótico (veja os artigos a vida sexual do casal, construir a intimidade e falta de desejo). Procurar estar mais próximo da sua mulher, investir em actividades que sejam prazerosas ou românticas para o casal, relembrar o que funcionava eróticamente para ambos antes do nascimento do bebé são alguns dos exemplos mencionados nesses artigos. Terá de haver um investimento planeado na recuperação da sexualidade do casal. Poderão também recorrer à ajuda dum sexólogo ou terapeuta de casais para vos ajudar, especialmente se existem outras questões individuais ou na relação que possam ter surgido depois do nascimento do bebé.

  12. oi boa noite, estou casada a 3 anos, hoje tenho 19 anos. No começo do meu casamento , a relação sexual minha e do meu marido era uma coisa morna, não faziamos nada de loucuras , mais quando se passou uns dois anos, eu passei a evitar faser sexo com meu marido, hoje agênte não se beija muito não gosto de dormir junto dele, e não sinto mais amor por ele, mais não tenho coragem de encarar a realidade, faz tempo que não sinto desejo por ele , mais eu eu quero faser sexo mais não com ele , eu conheço uns caras e fico me imaginando com eles não com todos de uma vez só com um, um que eu goste que eu ame , é muito dificil eu e meu marido faser sexo muito mesmo, mais oq eu não entendo é que eu sinto falta de sexo , sinto falta de uma loucura sexula que nunca fiz, quero tranzar com um carinha que está me paquerando ah dias nós conversamos bastante ,mais não quero faser nada com meu marido não quero sexo com ele só de ele me beijar já não gosto , oq está aconteçendo me diz por favor ??????

    • Cara Jessica, pelos vistos a relação com o seu marido deixou de fazer sentido para si. Não tenho elementos suficientes para encontrar possíveis explicações desse afastamento e consequente deserotização do seu marido. Talvez fosse boa ideia procurar um psicoterapeuta para a ajudar a decidir neste processo de forma mais segura porque vejo que está confusa quanto ao que fazer. Talvez uma parte de si deseje a separação e outra não. De qualquer forma se a relação deixou de ter significado afectivo para si e não sente desejo pelo seu marido parece-me mais apropriado que converse sobre o assunto com ele de forma a chegarem a uma decisão consensual, em lugar de procurar preencher as suas necessidades afectivas e sexuais fora da relação e assim trair o compromisso que estabeleceu com o seu marido.

  13. Olá, boa tarde. Gostaria de obter talvez um esclarecimento…pois estou casada a 8 anos e meu esposo sempre teve pouco apetite sexual….agora estou gravida e tem-se piorado mto a situação…qdo fazemos amor não fico satisfeita….não sei mais o que fazer, pq já conversei com ele sobre isso…e está complicado!!!

    • Cara Natalia, não tenho elementos suficientes para lhe dar uma resposta consistente. A falta de desejo pode ter muitas motivações e pode variar ao longo do tempo quer pela dinâmica da relação quer por outro tipo de factores. Quando a mulher engravida por vezes diminui o desejo no homem com receio de poder magoar o bebé, associar a gravidez à maternidade e ter dificuldade em conciliar o papel de mãe com o papel da mulher enquanto objecto de desejo. No entanto outras questões ficam por responder, quais as razões pelas quais o seu marido sempre teve pouco desejo? porque não fica satisfeita com a relação sexual, sempre foi assim ou só agora depois de ter engravidado? Veja o artigo sobre a vida sexual do casal para obter mais algumas informações sobre as questões do desejo.

  14. Estou desesperada, tive um Bebe a 2 meses e até hoje meu marido não me procurou para fazermos sexo, na minha cabeça passa mil coisas do tipo q ele tem outra ou que pelo fato de ainda está um pouco gorda ele não sente desejos por mim. Isso me deixa arrasada e penso em separação, já conversei com ele sobre isso e ele garantiu que iria esperar os 45 dias de resguardo, mas o tempo passou e nada. Ele dorme primeiro do que eu pois o Bebe dorme tarde e desta forma quando chego na cama ele já esta dormindo, mas outro dia de manhã o Bebe acordou e eu o dei de mamar e ele voltou a dormir então eu toquei em meu marido tentando algo mas ele simplesmente virou de lado me desprezando mais uma vez, eu me olho no espelho e me sinto uma baleia e penso que seja isso que esteja causando a falata de desejo nele estou querendo me separar mesmo que tenhamos uma linda filha pois sei que se ele me trair a culpa será minha por está tão feia, não tenho recursos para frequentar academias ou fazer lipo coisas assim.
    Não tenho mais coragem de tentar ecita-lo pois fui desprezada e rejeitada e agora estou com vergonha que aconteça novamente.
    Me ajude a salvar o meu casamento por favor.

    • Cara Adirlene, a falta de desejo do seu marido poderá não estar relacionada com a sua imagem, pelo menos não foi essa a justificação que ele lhe deu. A vinda de um bébé pode ter um impacto grande a nível inconsciente quer nos homens como nas mulheres que se reflecte no desejo. Os homens poderão ter alguns sentimentos de ciúmes ou sentirem que ficaram em segundo plano relativamente à atenção que a mãe necessáriamente dá à criança. Outro exemplo que já tem sido referido aqui no site (veja o artigo vida sexual pós-parto) os homens que assistem ao parto por vezes ficam com o desejo inibido nas semanas seguintes. A leitora está muito ansiosa com o distanciamento do seu marido e está a especular sem saber ao certo o que ele estará a sentir ou porque parece tão afastado de si. Convém abrir o jogo, esclarecer as suas dúvidas e perguntar ao seu marido o que este sente sobre esta situação. Relativamente à recuperação da sua imagem, mesmo não frequentando academias ou recorrendo a outras intervenções, poderá começar uma dieta apropriada para o período pós parto, caminhar durante uma hora por dia ou qualquer outro tipo de exercício que tenha preferencia. É óbvio que os seus problemas de imagem estão neste momento muito afectados pela falta de auto-estima despoletada pelo afastamento do seu marido. Procure valorizar-se confrontando-o de forma não agressiva, tentando compreender o que se passa sem se colocar em questão.

  15. Oi gente,

    Sou homossexual e vivo um relacionamento a 5 anos. Somos totalmente diferentes, mas acabo por achar (como sempre achei) que isso é o que apimenta mais ainda a relação. Pois bem, já passamos por momentos difíceis na relação onde superamos com garra. Ele tem um problema de bipolaridade, o que eu sempre achei que tinha desde o inicio. Durante o namoro sempre fomos atirados ao sexo, sempre bom, sempre satisfatório para ambos. Mês passado ele entrou em crise, onde ele, querendo se afastar de mim para que eu não sofresse, se envolveu por outra pessoa. Porém esse relacionamento não deu certo e ele pediu pra voltar. Voltamos e continuamos nosso namoro, só que de um tempo pra cá ele vem demonstrando vontade sexual. Eu venho provocando mas ele sempre não consegue uma ereção satisfatória. Ele me disse que não sabe o que está acontecendo e acredita que seja uma fase, visto que me viu muito debilitado com a nossa separação. Eu cheguei a emagrecer quase 4 quilos de tanto sofrer com a falta dele. Diante dessa situação eu fiquei a imaginar um monte de coisas: se ele ainda estava ligado sexualmente ao outro, se ele tinha perdido o tesão em mim e etc. Mas ele me diz que me ama e que me quer, só que não sabe o que está acontecendo. Não sei mais o que fazer. Já fiz de tudo mas a situação continua e eu estou numa fase onde meu líbido está a mil. Por favor, me ajudem.

    • Olá Rafael, em primeiro lugar eu chamo-me Rui como pode verificar no cabeçalho do meu site e não “gente”. Se ler todos os textos e respostas a comentários sobre a falta de desejo na relação pode observar que esta ocorre com frequência para a maioria dos casais, heterossexuais como homossexuais. O que é normal numa relação de longa duração é que ocorra falta de desejo em algum momento ou período da vida do casal. O que não significa que não seja perturbador para o casal como podemos constatar pelas suas palavras. Várias questões se colocam relativemente ao problema descrito. Qual a crise que ocorreu com o seu companheiro que o levou a procurar outra pessoa? Estará relacionado com a bipolaridade? entrou numa fase maníaca e agora está numa fase deprimida e como tal as pessoas quando estão deprimidas perdem por vezes o desejo ou pelo menos ficam com a libido diminuída. Não obstante as razões que o levaram a romper consigo, o retorno à relação parece implicar alguma culpabilidade. Os sentimentos de culpa por o ter deixado, acentuados por possíveis sintomas depressivos, poderão estar na origem da diminuição do desejo. Tentem reforçar a relação amorosa no sentido de expressarem os sentimentos que vos unem e concretizarem-nos através da partilha de actividades, pensamentos, abertura ao outro, diálogo que promova a compreensão e aceitação do que tem vindo a ocorrer na relação. O seu companheiro deverá no entanto consutar um médico para verificar se a falta de erecção poderá também ser decorrente de alguma medicação que esteja a tomar para depressão e bipolaridade. Nesse caso o viagra, cialis e levitra serão uma boa ajuda para o problema da erecção. O recurso à terapia de casal ou terapia sexual são também aconselháveis nestas situações até porque a origem deste tipo de problemas vem sempre de bastante mais longe…

  16. olá,sou carla tenho 23anos e como todas as mulheres dessa pagina , estou passando pelo o mesmo problema eu e meu espouso estamos casados a quase 3anos e temos um filho de 8 meses quando namoravamos era uma loucura de desejos constantes não ficavamos sem fazer sexo nem um dia e era maravilhoso gostoso, um tempo depois engravidei da nossa filha que apos o nascimento veio a falecer. apos o nascimento dela nossa vida sexual voutou a ativa,4 meses se passaram e engravidei de novo não sente vontade nenhuma na gravidez e agora que meu filho esta com8 meses piorou nos nos entedemos muito bem as vezes quando ele me procura eu digo que não estou com vontade e le faz aquela cara que me deixa super frustrada nãosinto mais aquele fogo qoe sentia na epoca do namoro eu amo meu marido so que não aguento mais essa situação, as vezes quando sinto vontade que ele coloca dentro sinto dor e sinto tezão mas não gozo nem quando fazemos sexo oral que era uma coisa que eu adorava não sinto mais aquele arrepio fora que a minha vagina esta sem lubrificação. tenho medo que meu marido procure outra para satisfaze-lo ele esta sempre na ativa carinhoso ja eu!!!preciso de ajuda por que quero saber como vou conversar com meu marido sobre isso tenho nedo que ele não entenda.tem mais um detalhe quando estou assistindo televisão e derrepente paro para esssistir o canal porno e vejo qualquer cena de sexo fici cimpletamente exitada não entendo o que signifiva ,me ajudem por favor!!!obridado

  17. continuação, estamos planejando ter potro filho quando o nosso filho estiver com 1 ano so que do jeito que a coisa vai tenho ete medo de engravidar d novo e perder completamente o prazer ou acontecero que esta acontecendo agora!!!

    • Cara Carla, a sua situação apresenta alguma complexidade. No período pós-parto e mesmo durante a gravidez é frequente diminuir o desejo na mulher, veja o artigo Sexualidade Pós-Parto e as inúmeras respostas que tenho dado aos leitores. Contudo parece que a morte da sua primeira filha após o nascimento poderá estar a ter alguma influência no desejo pelo seu marido e no prazer na relação sexual. A nível inconsciente poderá não ter processado o luto desta perda e estar a tentar proteger o seu bebé da possibilidade de morrer, secundarizando a relação com o seu marido ou evitando entregar-se a este com receio de deixar o bebé sózinho. Enfim, existem aqui várias hipóteses e mais elementos da sua história que necessitam de ser avaliados por um psicoterapeuta ou sexólogo. Fale com o seu marido no sentido de procurar ajuda para poder desenvolver estratégias para recuperar o desejo. Não me parece tratar-se de uma questão fisiológica mas de motivações a nível do inconsciente que necessitam de ser identificadas e processadas num contexto terapêutico. Eu recomendaria que recorresse a ajuda antes de planear ter outro filho. Não vale a pena engravidar quando existem problemas na relação desta natureza com um impacto tão forte na vida do casal.

  18. oi gente

    Sou casada a 2 anos e sempre tive uma vida sexual muito ativa com meu marido. Há 3 meses nossa filha nasceu e desde então quase nunca mantemos relações sexuais porque não sinto o menor desejo e até repudio quando meu marido me toca. As poucas vezes que nós fizemos sexo foi por iniciativa total dele e eu faço simplesmente porque as vezes não tenho argumentos para dizer não. Quando eu estava grávida minha vida sexual estava no auge mais quando nossa filha nasceu tudo mudou, principalmente porque ele não foi compreensivo comigo quando nossa filha nasceu e me largou sozinha para cuidar da nenem sozinha, alem de sempre reclamar comigo porque a bebê estava chorando. Eu fiquei muito chateada com ela nese tempo, logo quando nossa filha nasceu, porque eu sempre penso que ele não ficou do meu lado, não me ajudou quando eu mais precisei dele e agora quando ele quer transar eu nao consigo porque é como se eu estivesse me traindo. Eu amava muito meu marido mais hoje não sei o amo tanto, e alem disso ele não trata bem nossa filha, e isso me deixa muito magoada. Não quero que meu casamento acabe, mais acho que tem muitas coisas mal resolvidas entre nós. o que devo fazer?

    • Lilian você fez o diagnóstico correcto da sua situação, a perda do desejo está obviamente relacionada com a zanga não resolvida com o seu marido pela falta de apoio após o nascimento da sua filha e pela forma como ele tem estado a reagir ao bebé, provavelmente pelos ciúmes que poderá sentir devido à atenção que a Lilian naturalmente tem estado a dar à sua filha. Procure falar com o seu marido sobre os seus sentimentos e como ficou magoada com a atitude dele. Procure escutar as justificações que le lhe possa dar e veja se fazem sentido para si. Uma conversa franca entre os dois poderá ser esclarecedora e aproximar o casal. Também poderá expressar ao seu marido a diferença entre os sentimentos que nutre pela sua filha dos sentimentos que tem por ele, e como é importante para o bébe sentir o afecto e proximidade do pai.

  19. Olá,
    Tenho 33 anos namoro a 9 anos uma pessoa que achava ser maravihosa.
    Em 2007 qdo eu mudei para um apê maior ( ele sempre pagou o aluguel) percebi que o sexo foi ficando frio, sexo anal que ele ama, nem se quer chegava perto, meus seios ele não sabe aonde ficam mais , tudo foi ladeira a baixo, achei que era devido a uma crise de hérnia que ele teve e era o que ele me falava, tinha medo de ter novas crises e por isso não queria abusar nas posições. Eu como sempre conpreensiva, nunca o cobrei e o sexo foi piorando, não existia mais o calor de antes, e a desculpa sempre era de que ele tinha medo de ter dor na coluna e assim fui levando, sem nunca cogitar de ter um relacionamento extra conjugal, adoro sexo e estou aberta a tudo o que ele gosta. Em 2009 fui visitar meus pais, qdo voltei ele estava com crise na coluna, ficou 2 meses pra me tocar e comecei a achar que algo estava estranho, não queria mais fazer certas coisas comigo, o sexo passou a ser uma vez po mê e olhe lá, sempre de ladinho e muitas vezes ele nem sentia prazer, falava que eu era que tinah que ter prazer, aí fui começando a desconfiar, não sou feia, nem gorda, o que tava acontecendo. Foi qdo resolvi mexer em seu celular, coisa que nunca fiz em 7 anos de namoro, e descobri tanta podridão.
    Ele não conseguia me tocar mais porque tem tara por garotas de programas, descobri que ele saía com elas toda dia em que ele não dormia comigo, que pagava aluguel pra muitas delas, tanta coisa suja, que nem conseguia ficar em pé de tanto que eu tremia, não conhecia aquela pessoa suja, que dizia que eu era a mulher da via dele. Questionei e ele negou até a morte, falei que ia embora que não merecia isso. Eu não tive coragem de deixa-lo, eu gosto muito dele, mais o que me fez ficar foi eu não ser independente financeiramente, e tentei ser feliz. As coisas com as garotas não pararam, sei disso hoje porque ele não usava mais o celular e sim o da casa dele. Ano passado la pra setembro ele falou que ia vir morar comigo, que era o que ele queria, que gosta de mim, que vamos construir uma vida juntos. Estamos desde dezembro vivendo juntos, mais confesso que não é fácil confiar, as meninas continuam ligando, ele jurou para uma amiga dele em quem ele confia muito que a partir do momento em que ele entrou aqui vai me respeitar, e vai parar com tudo, porque agora ele é que quer viver comigo, que antes eu era só namorada, agora sou mulher dele, só que na casa ele não consegue ir além do fazia antes, falei que precisamos voltar como antes, comprei brinquedinho, quero experimentar coisas novas, mais ele não é aberto a essas coisas comigo e me deixa frustrada, não se mais o que fazer pra ele me olhar como antes, morro de tesão por ele, só não quero me achar um lixo xomo eu estava me achando qdo descobri,. O que eu tenho de diferente que não posso fazer e só elas fazem…..já chorei muito, me sinto um lixo de mulher..é triste.
    Minha angustia hoje é se ele vai continuar a sair com essas meninas, ele não vai mais dormir com elas, mais nada impede ele de dizer que vai trabalhar e ir pra outro lugar, o pior é que elas que ligam, eu apago todos os números, mais leas ligam, semana passada ligaram, e eu ouvi qdo ela falou nome falso que ele dá ( ele não dá o nome dele), ele falou que era engano e desligou, mais depois qdo ele saiu ele retornou a ligação e falou 10min, eu vi no celular, qdo ele voltou falei pra ele que eu achava que o CARLOS tinha morrido no momento em que ele entrou aqui, ele falou que não falou com ela e não tem culpa se elas ligam. Que ele sabe o que ele quer e está com quem ele quer e que só vai depender de mim ele ficar.
    Nãosei o que faço, não consigo achar que ele não vai mais fazer, quero ser feliz novamente.

    • Cara Ana Bella o seu namorado deixou de ter sexo consigo mas não quer deixá-la e paga o apartamento para manter a relação consigo. O que me parece é que o seu namorado tal como paga a outras mulheres para terem sexo também acha que pode comprar o seu afecto e a relação consigo. Esta condição só será possível se a Ana Bella o desejar. Terá de pensar o que deseja para si numa relação e em que termos pode aceitar um compromisso em que já não confia na outra pessoa. O gostarmos de alguém não é normalmente critério suficiente para decidirmos sobre a viabilidade duma relação. Por exemplo a confiança. a honestidade e a reciprocidade parecem-me aspectos fundamentais. O seu namorado parece ter um problema de validação interna e dificuldade em estabelecer um compromisso sério consigo em que você seja respeitada, contudo parece-me igualmente que ele gosta de si. Caber-lhe-á a si negociar as condições desse compromisso, embora estando dependente dele financeiramente, esta negociação torna-se bastante mais difícil.

  20. Olá, eu e o meu marido estamos juntos a 12 anos, desde o namoro, e nos casamos a quase 4 anos, mas de uns 8 meses para cá ele está mudado, ele fala que quer se separar de mim, que não me ama mais e que só sente carinho por mim, e além de tudo, não me procura mais, quando eu o procuro para termos relações ele foge de mim, ele fala que não tem outra mulher, mas ele trabalha de mais, nunca tem tempo para mim, eu não sei mais o que posso fazer, pois eu amo ele demais e não me vejo sozinha. Por favor me de uma dica de como faço para ele sentir desejo por mim de novo, pois não temos filhos, e morro de vontade de engravidar, mas ele não quer saber de sexo comigo, não sei como ele aguenta, pois as pessoas falam que homem não aguenta ficar tanto tempo sem sexo.

    • Lilian não há truques de mágica para levar a pessoa a sentir desejo pela outra, ainda para mais quando o seu marido não parece interessado em recuperar a relação consigo. Como já referi aqui é normal as pessoas terem períodos com pouco ou nenhum desejo numa relação longa. Muitas vezes esses momentos obrigam o casal a repensar a relação, a confrontarem-se um ao outro com novas necessidades e ideias, mesmo no plano erótico. Tente falar de novo com o seu marido sobre as razões que o terão levado a afastar-se de si para que possa compreender melhor o seu papel nesta dinâmica. Por outro lado, exercer pressão sobre a outra pessoa normalmente ainda inibe mais o desejo. Procure valorizar-se, cuidando de si e procurando focar-se noutras actividades que lhe interessem. Muitas vezes só quando a pessoa se afasta ou se valoriza perante o outro é que este reconhece determinados sentimentos e valor afectivo e erótico do parceiro(a). Tudo isto só fará sentido se o seu marido quiser recuperar a relação. Veja ainda o artigo “falta de desejo” que propôe algumas estratégias a nível do casal.

  21. Estou muito maguada pois nao sinto nada de desejo pelo meu esposo por mais que eu tente nao consigo ,nao sei mais o que fazer fui casada a 19 anos com pai dos meus filhos nao conseguia sentir nada tambem ,casei novamente e o problema continua , so sei que se nao der certo com meu esposo nao quero mais ninguem na minha vida pois ja estou cansada de sofrer, fui estrupada aus 13 anos .Sera quem tem algo haver pelo o que estou passando atualmente? Sei la acho q o problema tem haver comigo,pois mesmo que meu espozo me da muito carinho nao me sinto desejada gostaria muito de me sentir desejada e amada por mais que ele diga q me ame ,e meus dizem que sou bonita nao consigo me sentir como deveria!Queria saber como posso resolver meu problema , so quero me sentir feliz e fazer meu esposo feliz!

    • Adriana você apresenta sintomas muito característicos das pessoas que sofreram abuso sexual. Não se sinta culpada pela falta de desejo ou por não se sentir amada, estes sintomas resultam de defesas a nível inconsciente decorrentes da situação de abuso e provavelmente doutros aspectos da sua história de desenvolvimento. Aconselho-a a procurar ajuda a nível da psicoterapia pois poderá ultrapassar grande parte desta dificuldades através dum processo terapeutico consistente.

  22. eu fico muito cunsusa porque ja fui ao pisclogo e nao resouveu nada nao sei mais o que fazer nao acho graça mais na vida tudo que faço ta ruin sinto profundamente maguada a vida pra parece que perdeu o sentido as vezes sinto que meu marido nao mim acha bonita nao sei a verdade e que estou muito confusamim ajuda por favor

  23. ontem meu esposo me procurou soi mais o menos sentie muito pouco hoje de manha ele mem procurou foi pecimo porque nao ciquia sentir nada e ele nao gosava fui ficando nervosa e a i paramos u mundo desabou pra mim senti como se nada mais tivese importancianao sei fico muito confusa so sei dizer que tudo que vivo e oriveu quera muito me senter uma mulher realisada co meu marido pois amo muito ele mim ajuda por favor

  24. hoje mim sinto um lixo usada maguada por estou fasendo amor com meu esposo sem u pingo de desejo cada dia que passa a situaçao fica pior pois ele nao mim faz nen um carinho e ja começa tudo novamente estou começando a nao querer faz mais amor mim ajuda por favor amo meu esposo mais nao sei mais que fazer ele agora deu pra tomar remedio pra retardaro a ejeculaçao demora muito esta mim machucando sinto com si estivece fazendo amor com um estranho e muito angustiante sinceridade nao sei que faço mim ajuda pelo amor de Deus

    • Adriana eu já lhe disse que a sua situação é bastante delicada e grave e vai necessitar de ajuda duma pessoa competente, procure um sexólogo ou pscioterapeuta com competência na área de abuso e traumas sexuais. Poderá também contactar alguma associação de apoio à vítima para lhe darem referências de profissionais, em Portugal existe inclusive uma linha telefónica de apoio, não sei como é no Brasil, mas seguramente existe esse tipo de apoio. Não deve forçar-se a ter sexo sem vontade, essa situação só vai reforçar a inibição do desejo, precisa de tratar-se primeiramente.

  25. oi,estou casada há 20 anos,hoje estou com 36 anos e meu marido com 45,meu relacionamento era ótimo na cama,fazíamos tudo que podíamos em termo de diferente,nunca fui chata nesse sentido,no entanto mais ou menos um ano e meio meu marido começou a mudar, passa mais de 10 dias sem me procurar, e quando me procura faz tudo tão rápido que eu fico a ver navios,ou na maioria das vezes não consegue,eu faço tudo, mas não fica excitado,as vezes eu tento até conseguir pra satisfação dele ,mas não fica mais ereto como antes.Já tentei conversar mais ele ficou nervoso ,o que eu faço?Estou muito triste a cada dia com essa situação.Por favor me ajude.

    • Sheyla é frequente tanto nos homens como nas mulheres haver uma diminuição da libido com o avançar da idade, o que não quer dizer que os casais não possam continuar a ter uma sexualidade satisfatória. Normalmente, nos homens o tempo da ereccção é menor e é necessário maior estimulação. Como também refere é comum diminuir a frequência das relações sexuais. Contudo há que ter em conta outro tipo de factores de ordem relacional ou psicológica que posssam estar a influenciar a diminuição do desejo. O seu marido poderá recorrer a um terapeuta sexual ou mesmo a um médico andrologista para verificar os níveis de testosterona e avaliar a situação do seu marido. Como sabe existem também medicamentos que o poderão auxiliar no melhor desempenho sexual se fôr essa a melhor solução para o problema apresentado.

  26. Olá Rui…

    Primeiramente adorei os seus comentários…
    Gostei muito das histórias, e vi que o meu caso se assemelha muito com o caso das mulheres maravilhosas que escreveram suas histórias.
    Parabéns pelo sucesso…
    Qualquer dia escrevo minha história pra vc…
    Beijos

  27. Sou casado a 3 anos, tenho uma filha de 6 meses….e desde o nascimento da minha filha, a minha esposa nao tem mais apetite sexual como antes. hj, e uma vez e olhe lá. eu sofro com isso, pois amo minha esposa q gosto de mostrar q amo ela tbm atravez disso. mais o caso da falta de sexo entre o casal, leva a separaçoes, traiçoes. eu uma vez, cheguei a ver filme porno por causa disso.
    por favor, me explique sobre isso, pois ela ta na cabeça q agora a atençao e só pra minha filha e eu fiquei pra escanteio….e so lembra de mim quando ta acabando algo ( fraudas, leite….e por ai ). tbm, nem carinho mais dela tenho.
    aconteceu nesses dias, faz uns 4 dias mais ou menos, procurei ela e ela me olhou nos olhos e disse: pq vc nao dorme? isso foi o cumulo q ja recebi dela.
    nunca a tratei mal, e nem jamais perdi tesao por ela. amo ela, gosto dela.

    • Roni, veja o artigo “vida sexual pós-parto” e respectivos comentários, encontrará várias explicações e sugestões para situações semelhantes à sua.

  28. Olá Rui, tudo bem ? Conheço minha mulher há 25 anos e há 23 anos sou casado. O meu problema é que neste momento, estou muito mais interessado e motivado pelo casamento do que a minha mulher. Digamos que numa escala de 0 a 10, eu estou com 9 a minha mulher está com 2. Está muito difícil enfrentar esta situação. Fiz um exame recente e a minha testoterona está altíssima (tenho 47 anos), tenho desejo sexual diariamente e não sou correspondido. Não adianta elogiar, fazer carinhos, simplesmente ela rejeita. Ela tem dificuldade de dizer a verdade e enfrentar os problemas. Estou de “saco cheio” com isso, estou a beira de dar um chute em tudo e partir para conhecer outra mulher que me valorize e que seja sincera comigo. Temos 2 filhos que já passaram dos 20 anos. Você acha que vale a pena insistir neste relacionamento ?

    • Caro Ricardo, parece-me haver questões mais complexas que estarão na origem da rejeição da sua mulher e para a análise das quais não possuo elementos. Se a sua mulher não partilha consigo as razões que a levam a rejeitá-lo poderá sempre propor fazerem terapia de casal ou procurar conversarem sobre este tema duma forma sincera e aberta ao outro. Caso não consigam chegar a um consenso, parece-me que não faz sentido permanecer numa relação em que a pessoa não se sente bem, em que não há partilha e intimidade e algum esforço na procura de soluções para os problemas do casal.

  29. Preciso de ajuda, tenho 32 anos e perdi totalmente o desejo sexual, há já alguns anos que estou assim, antes de ter tido o meu filho já tinha perdido o desejo, depois do seu nascimento, ele serviu de uma boa desculpa para piorar a situação, sim porque ou estava cansada pois tinha que dar lhe de mamar de 2 em 2 horas, ou porque o bebé estava doente e dormia connosco na cama, e agora que ele já tem 2 anos é porque ele ainda não dormiu e só se deixa dormir quando eu me deito com ele, o que acaba por me fazer adormecer também. Sempre que tenho que fazer sexo, tento que seja o mais rápido e o menos diversificado possivel. O meu pensamento é “vamos lá despachar isto” É óbvio que isso está a afectar o meu relacionamento conjugal, andamos implicativos, por tudo discutimos, tudo é um problema, o diálogo não existe, o carinho também não, a partilha desapareceu, enfim, o meu casamento está se a afundar. Não sei o porquê desta situação, pois amo o meu marido, e nas raras ocasiões em que fazemos sexo eu atinjo sempre o orgasmo, por isso não percebo, mas sei que preciso de ajuda, e se não me puder ajudar por favor forneça-me alguns contactos de pessoas que o possam fazer.

    • Nina deverá fazer acompanhamento psicoterapêutico para a ajudar a ultrapassar essa situação que já se arrasta há muito tempo e tem implicações graves na dinâmica do casal. Poderá marcar consulta comigo ou optar por outro colega ou terapeuta sexual dependendo do seu local de residência.

  30. ola RUI td bem …bom algum tempo atraz antes de entrar nesse site não sabia que ia me deparar com tantas mulheres que passam pela mesma situação que eu ..na verdade foi um alivio…bom eu sempre tive uma vida sexual muito boa ate d+ tinha muito desejo ate…não sei se é pelo fato de ser criada em uma famila rigida cheia de tabus mas… as vezes tinha que namorar escondido e faz 5 anos que sou casada tenho uma filha de 2 anos …depois que casei passaram 3 anos e esse fogo foi acabando e as vezes meu marido fica chateado com razão mas ..nao sei o que fazer sabe …as vezes me da vontade so quando mestruação esta para chegar mas depois acaba totalmente ..me ajuda… pois meu marido continua o mesmo e eu ja eraaa..

    • Cara Ana Paula, para além das sugestões dadas nos artigos referidos e comentários deve considerar de que forma a maneira como a relação tem evoluído e como você se sente na relação. A sexualidade reflecte com frequência a dinâmica da relação e as questões que existem noutras áreas da mesma, as quais não possuo mais informações. A aprendizagem da sexualidade e a forma como era encarada pela família de origem tem obviamente influência na evolução da sexualidade da pessoa. Mas estas questões precisam de ser abordadas de forma mais consistente e detalhada num contexto terapêutico, para poder obter alguma tipo de resposta mais concreto e adequado à sua situação.

  31. A minha situação é igual a da Nina , comentário acima, também tenho 32 anos e já alguns anos perdi completamente o interesse sexual pelo meu marido, ele me cobra muito , dizendo que precisa fazer sexo, e sempre tenho alguma desculpa, ou durmo com meu filho ( que irá fazer dois anos) e depois vou para nossa cama, aí já estou com sono e não quero mesmo, discutimos por muitas coisas, sei que ele está muito desanimado e com razão, mais não consgo nem mais fazer por obrigação, na minha gravidez passamos por muitos problemas financeiros, fiquei muito infeliz, mais não posso atribuir somente a isso pois antes já não queria, tenho me decepcionado muito com ele, por ser uma pessoa que a maioria das vezes esta de mal humor, as vezes um tanto grosseiro,reclama de tudo nada está bom, não tem gratidão pelas pessoas que o cercam, sei que pra ele também é difícil pois moramos atrás da casa de minha mãe, então ele diz que não possui privacidade para fazer o que quer e a hora que quer, mais no meu ver a pessoa qdo quer corre atrás não fica reclamando, além do mais ele é homem e tem que cumprir com sua responsabilidades e dar uma segurança maior para meu filho e a mim…não sei mais o q fazer e o que dizer…não sei se fico quieta e deixo as coisas como estão, ou dou um basta nesta situação

    • Cara Fabiana a sua relação atravessa problemas de vária ordem, em que as duas partes estão insatisfeitas com vários aspectos da relação, o que se traduz na animosidade entre o casal e naturalmente diminuição do desejo da sua parte. Procure conversar com o seu marido sobre os vossos problemas e encontrar soluções que possam satisfazer ambas as partes. A recuperação duma relação passa muitas vezes por compreender o ponto de vista do outro e poder negociar os aspectos em que estão em desacordo procurando um equilíbrio entre a vontade de ambos os membros do casal. A reciprocidade no casal e sentir que o outro atende a aspectos e necessidades nossas na relação acaba por facilitar a aceitação das diferenças e a cedência em aspectos que promovam uma maior proximidade no casal. Só assim a relação poderá fazer sentido para ambos.

  32. Olá Rui Eu sou casada á 4anos,e eu tenho muita dificuldade em me excitar,qualquer coisa me desconcentra,e dai o que foi dificultoso acaba em minutos.Que devo fazer???

    • Dana com tão pouca informação sobre si é muito difícil dar-lhe algum tipo de orientação. A sexualidade é muito complexa e envolve multiplos factores desde a história de desenvolvimento da pessoa, a factores culturais, sociais etc. Se tem dificuldade em se concentrar na na relação sexual procure experimentar centrar-se nas sensações e no momento em lugar de dispersar o pensamento. Outra sugestão será poder fazê-lo sózinha, através da masturbação para treinar o enfoque nas sensações e no momento para além de poder melhor identificar por um lado o que a leva a desconcentrar-se e por outro o que é mais estimulante para si: tipo de pensamentos, fantasias, contexto etc Mas o melhor será mesmo contactar um terapeuta sexual.

  33. Pois aqui só há mesmo um homem a responder às questões dos leitores embora todos estejam livres de poder comentar. A leitora tem de ponderar se deseja ter uma relação com um homem que a diz amar e querer estar consigo e a rejeita sexualmente por não corresponder as fantasias dele. Na vida não se pode ter tudo, eu mandava-o ir á procura da “figura pornográfica”, para as urtigas, ou se quiser ser mais boazinha passar uns tempos sózinho numa pensão para reflectir sobre o que realmente deseja para ele próprio.

  34. Olá Rui, tenho 45 anos namoro uma pessoa de 48 anos a um ano e meio, desde o começo meu namorado foi meio estranho..só que se fez parecer o que não era,na primeira vez rolou boa intimidade, mas depois como as coisas ficaram serias, eu percebi que não me beijava, não me lembro dele ter me dado um beijo daqueles de cinema nunca! na cama tudo muito limitado, se peço ou tento, uma posição diferente, ele diz que é “putice”, da desculpas!não me abraça,não me faz carinho, acho até mesmo que nem sabe se meus cabelos são macios e cheirosos. Quando tento falar nisso ele fica bravo, e fala que já estou com estes papinhos chatos, desde o começo ele foi assim, em publico nem pensar em tentar algum carinho, se o faço ele fica irritado. Tudo que é mulher não presta pra ele,sei que ele não teve uma boa infância, tento entender, mas ta difícil, não sei o que fazer, as vezes temos algumas brigas porque ele é muito machista, eu trabalho, sou independente, sei que se le pudesse me proibir de trabalhar ele o faria. Sei que não tem nada a ver com outra mulher este jeito dele, pq desde o começo eu fui notando estas atitudes dele, minhas amigas ficam me perguntando o que quero com um cara que nem me beijar não me beija, que só faz amor de ladinho! porque é só assim que ele faz…as vezes tenho impressão que ele ate faz uma posição diferente porque eu pressiono muito, fico pedindo…não acredito que ele não saiba que posso me cansar disso.Ja tentei conversar e ele se irrita, diz se eu não estou feliz porque estou com ele? ai ele me desarma, jamais ele disse que me ama, quando pergunto ele diz que faço muita pergunta. Pergunto pra ele porque ele mudou? ele me responde que foi porque eu disse que ia ficar só 15 dias na cidade, e acabei vindo morar…Não sei o que fazer, conheci uma pessoa maravilhosa, e acabei me envolvendo, me sinto culpada, sei que não é certo, mas eu amo meu namorado! por favor me ajude!

    • Olá Eliane, parece-me que o seu namorado tem dificuldade com a entrega e o compromisso com alguém. Esta questão pode ter origem em múltiplos factores e não é da responsabilidade da leitora mas sim da estrutura psicológica do seu namorado. Como não me parece que o seu namorado queira discutir e muito menos procurar ajuda para este problema a única forma é a Eliane estabelcer um limite relativamente ao que pode ser tolerável para si tendo em conta outros aspectos positivos da relação. Deverá questionar-se sobre o que deseja para si numa relação e até que ponto é razoável tolerar o evitamento do seu namorado. Por vezes com o tempo as pessoas com dificuldade na entrega vão sentindo-se mais seguras (já que o evitamento está muitas vezes relacionado com inseguranças de vária ordem a nível relacional) e vinculam-se gradualmente à outra. Não se sinta culpada por gostar de uma pessoa, tem é de gostar mais de si própria e poder afastar-se se sentir que não há evolução por parte do seu namorado. Por vezes estas pessoas só valorizam o outro(a) quando sentem a falta deste, o que não joga a favor da construção da relação.

  35. Rui oi so praticamente casado tenho um relacionamento de 7 anos tenho uma filha de 3 anos so q depois da chegada da minha filha minha relacao fico bem estranha pq minha mulher no casa nao tem mais aquele carinho q ela tinha antigamente e nao quer saber de sexo entoa eu fico mt enseguro em relacao a isso pq amo mt ela e minha filha queria saber se tem alguma coisa q vc me endica para melhorar minha relacao pq to de uma forma de nao aguentar mais , so um super pai tb um bom marido sempre estou do lado delas queria saber oq eu fasso nao quero peder isso tudo mt obrigada

    • Re em primeiro lugar deverá conversar com a sua companheira sobre o que está sentir e escutar o que ela lhe terá a dizer sobre este afastamento. Apesar de ocorrer com frequência uma diminuição do desejo no perídodo pós-parto que se pode prolongar se o casal não tomar iniciativas no sentido de recuperar a relação afectiva/sexual, uma relação intíma sem vida sexual deixa de fazer sentido a não ser que este seja o desejo de ambas as pessoas. As relações são projectos a dois que devem ser negociados de acordo com as necessidades de cada um na procura dum consenso que proporcione o bem estar do casal. Se não conseguirem resolver o afastamento aparentemente gerado pelo nascimento da criança (poderão existir outros factores despoletados pelo nascimento), pode e deverá procurar ajuda psicológica ou então ponderar se deseja manter-se numa relação em que as duas pessoas se encontram tão afastadas.

  36. Pelo amor de Deus me ajude ,estou casada á poucos meses ,meu marido antes de casarmos ,sofreu muitos problemas ,familiares ,financeiros ,e terminavamos algumas vezes ,nao conhece a mãe e o pai nunca educou é beberrão e o humilhava muito …meu marido é anti social e quase nunca ria ,quando começamos a namorar ele havia mudado um pouco ,agora ele não consegue ter relação com migo ,quando faz diz ficar com sensação de culpa ,não me abraça mais e nem me beija ,gosta de ficar só,quamndo não vai pro trabalho fica dormindo só.perguntei se estava gostando de outra pessoa ele diz que não que gosta de mim porém não consegue demonstrar afeto nem nada ,como se algo atrapalhasse ,as vezes diz que vai se separar para eu ser feliz, e que acha que não conseguirá ter sexo nem com outra pessoa e que viverá sozinho .ALGUMAS PESSOAS DIZ QUE ELE NÃO GOSTA DE MIM E QUE É GROSSO ,POR VêR QUE NÃO DEMONSTRA CARINHO POR MIM. gosta muito de se isolar,falei em médico ,reluta e diz que não precisa … o que faço tem algum prifissional para esta área qual é … desde já agradeço .

    • Lonay, o seu marido deverá consultar um psicoterapeuta ou psicólogo clínico o quanto antes para o ajudar a resolver as questões que descreve que naturalmente têm um impacto significativo na vida do casal e comprometem a relação bem como o bem-estar psicológico do seu marido.

  37. Ola, Rui, tenho 33 anos e sou casada a 5 anos e meio, sempre tivemos discussões por causa de ciumes, mas de um tempo para cá as coisas estão piorando, ele desconfia de tudo o que faço, nossa vida sexual não esta lá essas coisas, quando ele esta bem, temos relações até 4 vezes por semana, mas quando ele não esta bem, chegamos a passar mais de 20 dias sem nos tocarmos. Não sei o que fazer, pois pergunto a ele se esta acontecendo alguma coisa, e ele me diz que não, que esta tudo bem. E com isso vamos passando um período bom e um período ruim. Infelizmente a uns 4 dias tivemos uma briga feia, onde eu até disse que iria sair de casa, pois não aceitava mais essa situação, essas brigas por desconfianças, e nessa última briga ele acabou pegando pesado em um ponto muito delicado para mim, pois estou bem fora do meu peso, e estou fazendo tratamento para redução de peso, mais isso não acontece da noite para o dia, e para me deixar para baixo, ele no auge da briga, me disse que sou feia, gorda e que ninguem irá gostar de mim. No momento me senti um lixo, e fiquei sem reação alguma, não sabia o que fazer, mas quando eu disse que iria embora, ele imediatamente me segurou dizendo que não, que eu não iria embora, que eu tinha que ficar ali, coom ele. Não sei o que fazer, sei que ele gosta de mim, mas ele esta ficando um tanto quanto agressivo. E estamos sem nos falar desde então. Moramos na mesma casa, mas não nos falamos nem nos tocamos.

    • Olá Simone já reparou que o funcionamento da relação está dependente do estado de humor do seu marido. Pela sua descrição o único momento em que tomou uma posição dizendo que o deixava ele expressou o desejo de manter a relação consigo, o que significa que você pode ter mais a dizer sobre tudo o que sente e o que precisa na relação. Obviamente também é necessário que o seu marido a queira escutar e levar em consideração as suas necessidades e os seus sentimentos o que não parece fácil pois ele parece querer manter uma posição de poder face a si. Aconselho-vos a procurarem apoio através duma terapia de casal. A Simone deverá ponderar quais são as condições necessárias para poder ter uma relação satisfatória e conversar com o seu marido no sentido de consensualizarem uma relação que leve em conta as necessidades das duas pessoas e seja assim mais equilibrada.

  38. Olá, sou casada há 4 anos e tenho uma filha de 4 anos (casei grávida). Atualmente tenho uma vida sexual ativa (apesar do meu marido não concordar), transamos 2 a 3 vezes poe semana, mas ele está sempre querendo mais, diz que sente muito tesão em mim. Acho que ele tem excesso de testosterena. Ocorre que, devido a tantas cobranças que ele me faz, muitas vezes de forma grosseira, fui perdendo o interesse por ele (emocionalmente falando), acho que não o amo mais. Odeio ser cobrada, sufocada e ele faz isso diariamente. O problema é que não tenho coragem de largá-lo, tenho medo de ficar sozinha. Enfim, o problema agora é que há 1 ano e meio, conheci uma pessoa que é casada é tem 2 filhos. Andamos nos encontramos algumas vezes, mas nunca rolou sexo, quando finalmente chegamos a ir uma vez ao motel, tivemos um pequeno desentendimento e fomos embora. Mesmo assim pude perceber que o tempo inteiro ele pedia p/eu esperer, parecia que ele ia gozar nas preliminares. Agora estou super interessada, ele vive me ligando, almoça comigo, me dá presentes, mas até agora não transamos. Não quero ser indelicada e forcá-lo a confessar porque ainda não teve relações comigo, mas confesso que essa situação é perturbadora! Ah, ele tem 43 anos e eu 31. Será que é insegurança da parte dele?

    • A Maria sente desejo e interesse por um homem que sabe despertar e alimentar o seu desejo ao contrário do seu marido que parece não ter percebido que forçar a relação sexual só pode inibir o desejo na outra pessoa. Veja como numa relação inicialmente satisfatória para ambos, a pressão sobre uma das pessoas pode levar á perda do desejo e ao desinteresse e desvinculação do outro. Por vezes saber esperar conduz a resultados mais interessantes na relação e na sexualidade.

  39. Rui, Tenho 25 Anos namoro a 2 anos, uma mulher linda! mas de uns dois meses pra cá não estou conseguindo ter ereção facil como era antes, já falhei duas vezes, não sei oq está acontecendo antes eu era muito excitado, mas agora nao sei, e toda vez q vou fazer penso nisso e fica dificil, nao sei oq faço, será que deve procurar um psicologo. ou é so tentar relaxar, lembrando que nunca fui assim, foi derepente!

  40. a um detalhe, quando assisti filme pornô a ereção acontece normalmente todas as vezes. será q o filme pornô que ta me deixando assim sem vontade da minha namorada?

    • Olá Guilherme, é normal que com o decorrer da relação, ambas as pessoas possam passar por momentos em que o desejo diminui ou como no seu caso possa perder a erecção. Se ficar muito ansioso com essa situação é natural que a ansiedade e o receio de não ter um bom desempenho sexual possam ainda dificultar mais a erecção. Procure aceitar que estas situações podem acontecer e conversar com a sua namorada no sentido de explorar outras formas de estimulação sexual do casal, veja os artigos falta de desejo e a vida sexual do casal. Por vezes podem ocorrer factores psicológicos mais complexos que interferem no desejo, nesses casos será melhor consultar um psicoterapeuta ou um terapeuta sexual.

  41. Boa tarde
    Tenho uma relação de 8 anos com o meu namorado e já vivemos juntos há 5 anos. Temos uma excelente relação, mas há uma situação que eu não consigo lidar com ela e que está a consumir-me.
    O meu namorado sempre foi um bom vivã, antes de ser sua namorada era sua amiga, é muito amante do social, da liberdade, é super bemm humorado, querido por todos, é muito independente, tem muitos amigos, gosta de festas e bebe socialmente. ( É normal sairmos até mto tarde e ele passar a noite a beber água ou sumo.) É proprietário de um restaurante muito bem localizado, empresário.
    Eu sempre o acompanho, tal como ele, adoro sair com ele, sozinha ou com amigos. Por vezes,faço um grande esforço para sair com eles, menos quando não me apetece, mas sei que é da natureza dele e por isso cedo. Dou também espaço suficiente para ter os momentos dele, ocasionalmente, claro, com os amigos.
    O problema é que de vez em quando vai sair à noite, sem me dizer nada, eu ligo-lhe imensas vezes e ele não me atende o telefone, deixando -me desesperada se aconteceu algo de grave…Quando chega a casa, diz que esqueceu-se do telemovel no carro e ficou na conversa com amigos. Certo dia, desconfiada, claro, pegui no carro e fui à procura dele, e realmente estava num bar com um amigo, a beber um copo.
    Eu tento -lhe fazer ver que o problema não é ele sair, mas sim não me avisar, enquanto namorada tenho esse direito de saber onde está. Esta situação deixa-me fora de mim, já pus em causa a relação, já saís de casa por uns tempos para ele reflectir, já pedi ajuda aos pais dele. Entretanto, as coisas melhoraram muito, mas ultimamente, lá voltou a repetir a cena, parece que tem a necessidade de pisar o risco e sintir a adrenalina…Quando lhe chamo à atenção e passo-me, ele diz que sim, que eu tenho razão e que não volta a repetir, mas eu sei que no fundo só diz aquilo para ficar tdo bem, porque na cabeça dele ele não está a fazer nada de mal e eu é que estou a fazer filmes. Contudo, era impensavel eu fazer-lhe isto, e tendo em conta que o respeito e estas atitudes vão contra os meus princípio, claro que não faço.
    Eu já questiono, sou eu que estou a ser intolerante? Mas eu só preciso de um sms a dizer “Vou beber um copo”, caso contrário penso que aconteceu algo mesmo grave e passo a noite em claro.
    Sinceramente, nao suporto esta situação, não consigo viver com isto e é triste porque tenho uma relação excelente mesmo, este é o único reparo que faço nele, e esta situação está a conduzir ao abismo, da minha parte claro. Infelizmente, sinto que se continuar, vai ser o motivo da separação, porque enquanto há mulheres que vivem bem com esta situação, eu não consigo e nunca hei-de-conseguir, porque vai contra todos os meus príncipios.
    Já lhe propus terapia de casal, mas ele recusa-se, porque diz que nós não temos problemas nenhuns para resolver, mas a questão é que eu tenho…
    Aguardo a sua apreciação.
    Obrigada

    • Cara Benedita, tem toda a razão quando diz que o seu namorado lhe deve dar uma satisfação sobre onde vai e responder aos seus telefonemas ou sms num período de tempo razoável. Estar numa relação implica um compromisso com a outra pessoa que obviamente não é incompatível com a liberdade de cada um poder estar com os seus amigos individualmente e poder por exemplo cultivar interesses pessoais que muitas vezes não são partilhados pelo companheiro(a). Contudo, estar em relação implica respeitar a outra pessoa e estabelecer um acordo relativamente ao que é expectável nas situações em que não estamos com a outra pessoa. Este compromisso varia de acordo com as necessidades de cada um mas deverá ser recíproco e aceite por ambas as partes. Não se trata aqui de uma questão de confiar no outro, mas sim sentir que a outra pessoa mesmo estando sózinha, tem em consideração o compromisso assumido connosco. A consideração pelo outro acaba por valorizar a relação e realçar a importância da outra pessoa para nós, o que é completamente diferente da necessidade de controlar o outro para nos sentirmos seguros tanto na relação como relativamente ao nosso valor intrínseco. Uma sugestão, deixe de lhe mandar sms ou telefonar quando ele sair e faça o mesmo quando sair com os seus amigos individualmente, talvez assim o seu namorado se questione sobre a importância do compromisso consigo.

  42. oi tenho 24 anos sou casada a 11 anos sempre tive uma vida sexual ativa
    eu adoro fazer sexo com ele mais em todos esses anos só tive um orgasmo fazendo sexo eu nao entendo pq mais quando eu me masturbo eu tenho orgasmo meu marido nao sabe que fasso isso tenho vergonha que ele saiba eu sempre fala para que gosei mais e mentira e ele tem uma mania que eu nao gosto ele sempre vem fazer amor comigo ja na intençao de sexo anal e só fala isso eu gosto de faz sexo anal mais isso me incomoda ele so fala nisso ele so lembra de me da carinho quando vamos fazer amor se eu nao fala que amo ele ,ele nao fala tbm as vezes acho que ele so gosta se sexo anal eu veio com ele fica quando estamos fazendo sexo anal ele fica louco , tenho desejos mais nunca falei com ele sobre isso , ele tbm nao gosta muito preliminares eu adoro. e nesses ultimas semana tenho ficando muito excitada com qualquer coisa sobre sexo se eu ler algo fico doida mais eu faço amor com ele mais nao passa nunca fiquei assim eu tenho coragem de falar com ele sobre essas coisas sou muito timida.
    tem 1 mes pra ca que so fico me mastubando todos os dia sem ele saber .
    por favor o que eu faço ??

    • AMIGA parece-me que a sexo com o seu marido está demasiado restringido ao que ele gosta de fazer e não leva em consideração os seus desejos e fantasias. Um dos aspectos fundamentais da intimidade no casal é a partilha das fantasias eróticas e a exploração da sexualidade tendo em conta os desejos de cada um. Se por um lado é positivo que tente ir ao encontro das práticas sexuais desejadas pelo seu marido, será igualmente importante que ele possa atender às suas necessidades na relação sexual. A mulher nornalmente valoriza alguns dos aspectos que referiu como o contexto afectivo, sentir que o homem é carinhoso e expressa afecto não só durante o acto sexual como noutros contextos, a importãncia dos preliminares para sentir mais prazer e ficar mais disponível para outras práticas sexuais. Quanto ao orgasmo, este é proprocionado pela estimulação do clítoris sendo por isso normalmente mais fácil as mulheres atingirem o orgasmo quando é estimulado com os dedos ou com a língua. Poderá pedir ao seu marido para a estimular das duas formas, podendo fazer a estimulação digital em simultâneo com a penetração. Procure partilhar e conversar mais com o seu marido sobre a sexualidade para que possam encontrar práticas consensuais mais satisfatórias para ambos, em lugar de o fazer sózinha como resposta a esta falta de diálogo e partilha.

  43. Olá, sou Leonardo tenho 26 anos. Estou noivo, e convivo com minha parceira a 4 anos. Nos ultimos meses a pratica de sexto diminuiu muito. Eu sou louco por sexo, e no inicio do namoro ela também era assim. Contudo nos ultimos seis mês as coisas estão complicada. Minha noiva trabalha e estuda, e ainda faz aula de dança nos sabados. Esse folego para fazer tudo ela tem, mais para sexo, vive dando desculpas, e quando percebo ja esta dormindo.
    Eu fico esperando a semana toda para ficar com ela, e quando chega uma oportunidade, as desculpas voltam a acontecer. Não estou desconfiado dela, pois até o momento nosso relacionamento está perfeito, e apenas a questão de sexo está complicado. Eu tenho muito necessidade por sexo, e gostaria que ela também tivesse. Agora minha maior duvida, como uma pessoa a pouco tempo atras tinha grandes desejos sexuais, mais agora isso se perdeu ?

    • Leonardo, a sua namorada está a evitar ter sexo consigo, o que compromete a relação. Os motivos pelos quais ela estará a evitar ter sexo consigo podem ser de vária ordem e não tenho elementos para lhe poder dar mais indicações. Convém que tente esclarecer com ela o que se passa e ponderarem a possibilidade de consultarem um psicoterapeuta ou terapeuta de casal.

  44. tenho 35 anos e meu marido 31, somos casados a 2 anos e meio nossa vida sexual sempre foi satisfatoria, hoje tenho uma filha de 7 meses e desde a gravidez e tivemos relação sexual duas vezes meu marido nunca mais me procurou, não se interessa poor mim, só falamos sobre a nossa filha, tudo e sempre ela, já tentei falar com ele por 2 vezes para entender porque não me procura mais ele disse que não da pro causa da nossa filha que quando ela dorme ele já esta cansado, só que vive na internet em sites porno eu mesma já vi umas 3 vezes ele diz que e mail que recebe sei que não é, na gravidez disse que iria jogar bola e não levou a chutera vi na lavanderia e ele chegou de roupa como se estivesse ido jogar, no dia seguinte eu disse que minha amiga o vi, ele disse que pegou um amigo no shopping e foram fazer uns acertos de trabalho, eu disse que minha amiga o tinha visto com uma mulher ele, disse que seria impossivel, que ele jurava pela vida da nossa filha que estava com o amigo, que me amava e se ajuelhou nos meus pés para eu não ir embora, nunca mais foi jogar futebol, mas mesmo assim não me procura essa semana o vi na net nun site estranho parecia um blog, tinha 2 mulheres uma mostrando a calcinha e a outra com uma blusa curta ele saiu na hora, disse que eu estava vendo coisas, o que pode estar acontecendo ele tem outra?
    Obrigada

    • Olá Sandra, não posso adivinhar se o seu marido tem outra pessoa, mas seguramente o casal tem um problema que necessita de ser abordado com ajuda terapêutica pois o seu marido não quer assumir consigo o que se passa com ele. Parece-me que a falta de desejo estará relacionada com o nascimento da sua filha, pois ele mesmo usa como pretexto a criança para não ter relações sexuais consigo. Por vezes o nascimento duma criança despoleta conflitos internos que não estão resolvidos relacionados com a infancia da pessoa e a relação com os pais. Outro exemplo comum é quando o homem assiste ao parto, por vezes sente dificuldade em olhar para a mulher como objecto de desejo. Procure conversar de novo com ele e procurarem ajuda.

  45. ola, tenho 30 anos e o meu namorado 40, namoramos há 4 anos e vivemos juntos há 3. A nossa vida sexual nunca foi bastante activa mas, tem vindo a piorar ao ponto de contar as vezes e saber os dias, e eu é que tenho de ter sempre iniciativa. Logo quando fomos viver juntos começamos a partilhar o mesmo pc, e mesmo bem escondido, descobri acidentalmente uma pasta só com pornografia. Falei com ele, mas ele nem ligou desconversou, não disse nada. Voltei há pouco tempo a ir ao pc, agora só dele, e ate tem “um indice” com as suas pornografias. Não me importo com isso só que axo que ele não me procura por esse motivo. A minha auto estima ta em baixo e ate perdi a vontade de o procurar pois não sinto nada do outro lado. Ele diz que gosta de mim. Mas, não sei como lidar com esta situação.

    • Olá Joana, a situação que descreve tem de facto um impacto muito negativo em si pois o comportamento do seu marido coloca em causa o compromisso estabelecido com este e as suas expectativas relativamente à relação e à reciprocidade do investimento que cada um poderá fazer. Contudo, não se valide pela resposta do seu marido ou seja pelo desinteresse ou afastamento deste. Pelo contrário, procure confrontá-lo sobre as suas necessidades na relação e o significado e compromisso da mesma bem como conversar sobre as razões que poderão tê-lo levado a afastar-se de si. Deverá ponderar se deseja manter-se numa relação em que a outra pessoa diz que gosta de si mas não o demonstra numa nas áreas fundamentais da relação como a sexualidade.

  46. oi , tenho uma duvida que anda me perturbando bastante…sou casada a 10 anos e eu e meu marido sempre nos entendemos bem na cama principalmente depois que o meu filho nasceu..tenho a impressão que o meu desejo sexual aumentou e melhorou bastante, mas ultimamente, sinto que n sinto mas o desejo que tinha antes e o que me preocupa é saber pq isso ta acontecendo…sera que eu n gosto mas do meu marido? sabe quero estar perto dele , gosto de estar com ele…no fundo sei que ainda gosto dele, mas n quero que ele me toque…e isso ta me criando um certo bloqueio pq n consigo relaxar e é claro faço tudo direitinho mas n consigo sentir prazer …e nem posso pensar em dizer isso a ele, acho que ele n entenderia …ja é uma pessoa ciumenta…me cobra muito…é estranho pq…se eu assistir um filme ou algo assim fico excitada rapido…se puder me aconselhar de alguma forma agradeço

    • Melissa deverá consultar um psicoterapeuta para a ajudar a resolver o que me parece ser uma forma de boicote inconsciente à relação, mas precisaria de mais informações para poder dar-lhe mais indicações. É normal que durante uma relação de longa duração como a sua, hajam períodos de menor desejo ou mesmo inibição deste. No seu caso, o desejo sexual existe mas não pelo seu marido, o que pode indiciar uma fantasia inconsciente de ter uma relação com uma outra pessoa e ou de arranjar uma forma de terminar a relação com o seu marido. Como parece que não é essa a situação que deseja a nível consciente procure ajuda para compreender a origem deste bloqueio.

  47. Tenho 19 anos e a 2 anos namoro um cara…no começo da nossa relação eu ainda era virgem, ou seja…ele foi o meu primeiro. No começo nós eramos tão loucos por sexo que não tinha lugar certo, se batesse a vontade era ali mesmo..ate que o tempo passou e ele não queria mais transar com tanta frequencia, ficava estressada..sou do tipo que não sei viver sem…uma semana pra mim é muito tempo e agora descobrimos que estou gravida e a um mes ele diz que não consegui nem pensar em transar comigo, isso me deixou muito mal. E o pior que sempre teve outros caras querendo ficar comigo e eu nunca tive coragem de trai-lo..e agora esses dois caras souberam que eu estava gravida e disseram que o desejo por mim ainda continua..me querem ate de barrigão..e o meu namorado não me quer nem agora que a barrriga esta pequena, as vezes da vontade de traí-lo…mais não consigo. So que não sei até quando vou conseguir ficar sem sexo…nove meses eu não consigo. Me ajudem..o que devo fazer.

    • Taci por vezes acontece o homem perder o desejo pela companheira quando esta engravida. Esta inibição do desejo é normalmente inconsciente e está relacionada com questões internas do seu namorado relativas por exemplo à diferenciação entre o papel de mãe e de companheira e objecto de desejo. A gravidez pode despoletar sentimentos não resolvidos entre o próprio e a mãe ou o pai relativos a cenários ou aspectos traumáticos da infância. Outras vezes o homem tem receio de poder magoar o feto ou mesmo a mulher durante o acto sexual. Procure falar com o seu namorado sobre as razões que o levam a não ter vontade de ter sexo consigo desde que ficou grávida e explique como é importante para si continuarem a ter uma vida sexual, situação que é normalmente recomendada a não ser que estejamos perante uma gravidez de risco. Vários estudos apontam para as vantagens do casal manter a relação sexual durante a gravidez não só para manter a relação mais unida, a mulher sente-se mais apoiada pelo companheiro e sente-se desejada, o que se reflecte de forma positiva na sua auto-estima e bem-estar. Mesmo para o feto em desenvolvimento parece haver um impacto positivo produzido pelo bem-estar dos pais e pelo produção de hormonas despoletadas pelo acto sexual como a ociticina, hormona responsável pela vinculação. A procura de outros parceiros poderá pôr em risco a relação e acabar por ser uma solução que não lhe trará qualquer tipo de benefícios a longo prazo, pelo contrário. Em caso de continuar a ter dificuldades com este tema procure ajuda terapêutica quer a título individual ou de preferência como casal.

  48. Bem estou tão magoada e triste, e não tenho ninguém para conversar.
    Estou casada a 2 anos eu e meu esposo ambos temos 20 anos, apesar da idade somos muito maduros. Namoramos cerca de 1 ano antes de casar, no namoro ele era todo atencioso, carinhoso. Eu sempre fui muito grossa, mas nunca neguei carinho.
    Quando casamos eu piorei esse lado “grossa” de ser, mas depois de algumas brigas vi que o melhor era mudar, isso foi a quase 1 ano. Recentemente a uns 5 meses ele modificou comigo de uma maneira absurda não da beijo nem se quer selinho, não fala que me ama, não fazer amor comigo, não me dá atenção. Como somos muito amigos tentei cerca de 10 vezes conversar com ele. No começo ele não quis conversar de jeito nenhum ai fui insistindo insistindo, ele falou que anda stressado demais no trabalho e eu sei que é verdade, mas creio que isso não justifique isso tudo. Questionei sobre não me beijar, não fazer amor. Ele me falou que não sente vontade, perguntei se ele era feliz comigo falou que não, depois concertou dizendo “só as vezes, depende” mas que me ama demais isso não tem duvida alguma. Resolvi ir embora mas não tenho coragem porque gosto dele e pra não tomar uma decisão errada conversei novamente, ele chorou falou que ama demais mas não sabe pq não sente vontade de me beijar, fazer amor, me abraçar, conversar comigo. Preciso de um conselho moro longe de minha familia(em outro estado), não trabalho pq a familia dele na qual não tenho proximidade(motivo não gostam de mim, mas não me querem mal já que o filho deles gosta de mim)não deixa pq tem dinheiro(meu sogro mexe com politica e aqui onde moro a maioria dos empregos é por indicação e pra entrar tem que ter indicações e as pessoas são de outros partidos éuô). Constantemente fico nua, semi-nua na frente dele, provoco ele, e quando vou chegando perto e insistir ele dorme, ou sai de perto ou reclama. Fico em casa angustiada cada vez mais com a cabeça desocupada pensando nesse mesmo assunto. Ai a noite ele chega toma banho, liga a tv, deita, dorme até acordar pra trabalhar e começar tudo de novo; sem se quer olhar pra mim! Se eu for conversar de novo o assunto já ta irritando ele. O que mais fico intrigada é que eu sei que existem ‘crises’ mas é muito pouco tempo de casado e não temos filho.

  49. Bem estou tão magoada e triste, e não tenho ninguém para conversar.
    Estou casada a 2 anos eu e meu esposo ambos temos 20 anos, apesar da idade somos muito maduros. Namoramos cerca de 1 ano antes de casar, no namoro ele era todo atencioso, carinhoso. Eu sempre fui muito grossa, mas nunca neguei carinho.
    Quando casamos eu piorei esse lado “grossa” de ser, mas depois de algumas brigas vi que o melhor era mudar, isso foi a quase 1 ano. Recentemente a uns 5 meses ele modificou comigo de uma maneira absurda não da beijo nem se quer selinho, não fala que me ama, não fazer amor comigo, não me dá atenção. Como somos muito amigos tentei cerca de 10 vezes conversar com ele. No começo ele não quis conversar de jeito nenhum ai fui insistindo insistindo, ele falou que anda stressado demais no trabalho e eu sei que é verdade, mas creio que isso não justifique isso tudo. Questionei sobre não me beijar, não fazer amor. Ele me falou que não sente vontade, perguntei se ele era feliz comigo falou que não, depois concertou dizendo “só as vezes, depende” mas que me ama demais isso não tem duvida alguma. Resolvi ir embora mas não tenho coragem porque gosto dele e pra não tomar uma decisão errada conversei novamente, ele chorou falou que ama demais mas não sabe pq não sente vontade de me beijar, fazer amor, me abraçar, conversar comigo. Preciso de um conselho moro longe de minha familia(em outro estado), não trabalho pq a familia dele na qual não tenho proximidade(motivo não gostam de mim, mas não me querem mal já que o filho deles gosta de mim)não deixa pq tem dinheiro(meu sogro mexe com politica e aqui onde moro a maioria dos empregos é por indicação e pra entrar tem que ter indicações e as pessoas são de outros partidos éuô). Constantemente fico nua, semi-nua na frente dele, provoco ele, e quando vou chegando perto e insistir ele dorme, ou sai de perto ou reclama. Fico em casa angustiada cada vez mais com a cabeça desocupada pensando nesse mesmo assunto. Ai a noite ele chega toma banho, liga a tv, deita, dorme até acordar pra trabalhar e começar tudo de novo; sem se quer olhar pra mim! Se eu for conversar de novo o assunto já ta irritando ele. O que mais fico intrigada é que eu sei que existem ‘crises’ mas é muito pouco tempo de casado e não temos filho!

    • Erika, o seu marido deserotizou a relação consigo ou seja perdeu o desejo sexual por si. Esta situação pode ter várias explicações para as quais seria necessário uma avaliação clínica do seu marido e consequente ajuda terapêutica. Não me parece que o problema esteja em si, embora obviamente acabe por colocar em causa a relação e daí ser importante confrontá-lo tal como o fez. Curiosamente, quando a relação era mais conflituosa o seu marido tinha mais desejo por si, quando a relação entrou numa fase mais pacífica ele afastou-se. Por vezes os casais quando se instalam na relação e uma das pessoas sente a outra mais disponível ou como garantida diminuiu o desejo pela mesma. Esta poderá ser uma das razões embora me pareça que existem outros mecanismos internos a nível da dinâmica individual do seu marido que o levam a afastar-se de si e que só com ajuda terapêutica poderá identificá-los, se assim o desejar.

  50. minha situação esta muito complicado a cada dia piora,eu e meu esposo não conversamos mais,desde que me casei ,nunca senti desejo sexual por ele,me casei virgem e continuei virgem por trez meses depois,para sentir um pouco de desejo eu bebia,e assim fui levando até hoje,faz 25 anos que sou casada, e sempre evitei fazer sexo.quando faço fico como um robô,não gosto de carinho dele nem que ele me toque ,eu acho que é quimica que não sinto por ele,ou tenho problema psicológico muito grave,porque nunca tive vontade de fazer sexo com outro, quero me separar,mas esta dificil,porque ele gosta de mim,eu gosto dele mas como amigo,me irrito muito com ele e ele comigo,fz mais de 4 meses que não temos relação,as conversas terminam em brigas,por favor sera que aconteceu algo comigo na infãncia que não me lembro mas fica na consciência,estou ficando abafada,tomo remedios para dormir,e ele sai de casa direto,ele pode,,eu não, tenho os filhos para cuidar ,help me diga algo que eu possa fazer porque não me suporto mais .e sempre tive baixa estima.tudo que eu faço ,não dou valor.me sinto inutil.me ajude abraços

  51. por favor me diga algo qu e possa me ajudar,não sei mais o que fazer,faz 25 anos qeu sou casada ,e nunca gostei de fazer sexo ,até me casei virgem,agora cheguei no limite,nem sem vontade eu não consigo fazer,meu esposo diz que é porque eu nunca gostei dele,mas se fosse assim eu teria feito sexo quando era solteira,não fiz porque não gostava.mas achava que quando casase ia ser diferente,me neganei,agora estou desesperada,ja fui ao endocrino,tomei remedio não adiantou,fiz todos exames não tenho nada de anormal,que sera que eu tenho,achei até que é porque ainda não achei minha cara metade kkk,não rolou quimica,sera que pode ser,mas como eu sou dificil,também sou inibida,me ajude ,diga o que eu preciso fazzer,uma vez tomei anfepramona para emagrecer e fiquei elétrica,tinha vontade ,mas nunca senti orgasmo,vou parar por aqui ,espero sua resposta urgente,tenho 42 anos e meu esposo 47.abraços

    • Míria deve procurar ajuda psicoterapêutica porque apresenta sintomas dum bloqueio muito grande relativo à sexualidade que terá origem na sua história de desenvolvimento e que necessita de ser investigado para que possa recuperar o desejo e ter uma sexualidade mais saudável com o seu marido e sentir-se melhor consigo própria.

  52. Olá Rui, me chamo Carlos e a pouco tempo me casei, há 6 meses, tenho 22 anos e minha esposa 21, casamos na igreja com cerimonia e festa diante de todos e de Deus, antes de casar tentamos ter relações, mas ela continuou virgem e todo dia doía, eu sempre tive paciência e depois de casados só fui tirar a virgindade dela á 1 mês atrás, ou seja 5 meses durante o casamento sem conseguir transar, tentamos e tentamos e sempre ela chorava muito, até desconfiamos de problema com vaginismo e fomos em um especialista, mas enfim, tirei a virgindade mas ela continua sem desejo sexual, eu sou muito carinhoso, atencioso, paciencioso, mas não aguento, já conversamos e expliquei a situação pra ela, mas parece que ela esqueceu que eu necessito disso, ela não liga pra isso e muitas vezes tenho que implorar e isso é chato demais, e isso esta me desanimando em tudo, não tenho mais vontade de beija-la, e poucas as vezes que sinto atração por ela.
    Pior de tudo, é que estou longe de toda minha família, não tenho á quem recorrer, TODA a minha família esta em Santa Catarina e eu em Rondônia, ela não pretende jamais morar em SC, eu já pensei inúmeras vezes em separação.
    Além disso, também estão acumulando problemas em casa, inclusive questão do cuidado que ela tem que ter comigo, questão de alimentação e roupas, muitas vezes eu faço todo serviço de casa.
    Isso está em um nível critico, tenho medo de separação, pois Deus abomina a separação, mas sinto falta de cuidados, sinto falta de transar com mais frequência (ainda sou muito jovem e tenho total disposição), a nossa frequência é de uma vez na semana e bem mal feito, todos pensam que somos um casal perfeito, mas preciso muito de uma ajuda, ela esta em paz mas eu não, e jamais quero trair, se for pra trair eu separo.

    Um abraço, me ajude por favor, Obrigado

    • Carlos, parece-me muito complicada a sua situação já que descreve um problema grave de dinâmica relacional no qual os problemas sexuais são apenas um dos sintomas do mau funcionamento da relação. Esta situação precisa de ser abordada num contexto terapêutico se ambos desejarem resolver o vosso problema. São ainda muito jovens e parece-me fundamental que possam encontrar soluções para a vossa vida que sejam mais satisfatórias e que clarifiquem as opções que precisam de tomar para ultrapassar as questões descritas. A terapia de casal ou mesmo individual poderá ajudar a encontrar as respostas para a vossa situação mesmo que estas impliquem um cenário de separação, mas convêm explorar as várias saídas possíveis de forma ponderada, tendo em conta as razões que terão levado a uma relação que parece não satisfazer nenhum dos membros do casal.

  53. ola rui, bom ler os conselhos e desabafos que aqui estão. não me sinto tão estranha.
    por vezes pergunto-me se haverá outro universo de casais que vivam o q vivo, e penso, mesmo assim, será q é isto q quero para mim? mais uma conformada e infeliz
    sou uma mulher de 29 anos, numa relação há 10, tenho dois filhos, casei-me há 4 anos,
    embora seja uma mulher boa, bonita, interessante, inteligente, trabalho por conta própria, e se quiser posso ser independente, sou insegura… na nossa relação costumo ter o poder de decisão, em tudo, o meu marido é sensato e pacífico, ama-me e deseja-me
    conversamos muito, o q eu sempre achei bom, mas com o passar dos anos comecei a revelar coisas intimas, desejos e fantasias que tenho com outros homens, e por vezes sinto q sempre tive essas fantasias por não me preencher dele, sempre faltou algo, profundidade de partilha de interesses, e claro q c o tempo e com todas as revelaçoes, que ele também foi fazendo, começou a haver uma distancia e desconexao… imagino q o rui saiba bem do q falo.
    por vezes até penso q ele é bisexual, imagine o impacto disso discutido ás claras, uma agressao na auto-estima, feridas q causam insegurança.
    hoje, nao tenho nenhum desejo por ele, nao gosto q me beije e nem q me toque, fantasio com amigos, falamos imenso da separaçao, e até já vivemos separados por meses, dentro da mesma casa (foi horrivel, e destruiu mta coisa) sempre q nos reconciliamos nao dura uma semana, mas como somos brandos nao há violencia nem traiçao, continuamos juntos..
    temos filhos fantasticos e queremos o melhor para eles… sinto q se nos separarmos tudo vai mudar e temo falhar e querer voltar atras, sei tb q mais uma vez é decisão minha pois ele n toma decisoes.
    sei q tenho imensos defeitos, sou egoista e exigente, e um dos nossos maiores conflituos é q ele acha q eu nao tenho estofo para enfrentar as crises, é possível.
    sou jovem rui, quero beijar na boca, beijar muito, adoro sexo sim mas o q me ganha é a emoçao, não sei ser um corpo seco a desaguar sede por dentro.
    e sei q não sou livre p me encontrar, nem para encontrar essa tesão, ando assim já faz mais de um ano e temo começar a ficar patética e parecer disponivel mas casada, é feio, e é falta de respeito
    apenas decidi escrever porque acho q pode haver uma luz dentro das palavras de quem sabe e de quem viveu, na verdade sei o q sinto, só nao sei como sao os caminhos
    sou complicada, poeta, amante do belo, freak, e a isto ele chama de futilidade.. quando partilho coisas da minha alma dá-lhe sono, e envolvo-me muito mais com outras pessoas q me entendem.. cria um enorme abismo pois as pessoas podem ser diferentes, mas tanto?

    ja falei tanto rui, aluguei este espaço p voar um pouco

    espero

    • Cintia parece-me que existe um conflito dentro de si entre o que deseja e idealiza em termos de relação e a sua realidade relacional. Este conflito parece afastá-la da relação e dos problemas reais com o seu marido que assim ficam sem solução. Aconselho-a a procurar ajuda terapêutica para investigar as razões deste conflito que lhe provoca grande insatisfação procurando estabelecer prioridades que estejam de acordo com o que deseja para si e que possa ser possível e concretizável no seu contexto actual.

  54. Caro rui, sou casada a 3 anos sempre fui muito ativa na cama, descobri o q era um orgasmo com meu esposo mas quando estavamos com 1 ano de casados eu tive um aborto, sofri demais e tive até depressão, desde aí nossa relãção nao era mais a mesma. mas 1 ano após eu engravidei e depois disso nao mantenho mais relações com frequencia com meu marido, na verdade até beija-lo me dá repulsa, evito o máx o ato sexual, eu até sinto um carinho enorme por ele, mas perco facilmente a paciencia com ele, bom ele tem um pouco de culpa pois nao investe em coisas novas na nossa relação. Gostaria tanto de sentir desejo por ele outra vez…me sinto um nada diante disso…

    • Yzabella parece-me que vários factores concorreram para a perda do desejo pelo seu marido, a começar pelo aborto e consequente depressão e posteriormente com o nascimento do seu filho. Será que durante esse período se sentiu apoiada por este? Penso que a sua falta de desejo estará neste momento relacionada com factores relacionais, ou seja com a forma como sente o seu marido na relação e como as suas necessidades têm sido atendidas desde que engravidou pela 1ª vez. Convêm conversar com o seu marido e escutar as razões que o levaram a afastar-se de si para procurarem recuperar a relação.

Os comentários estão fechados.