Vida Dupla

Tenho 45 anos, sou casado e tenho um filho. Tive a minha primeira relação com um rapaz, tinha eu 12 anos, sempre tive atracção pelo sexo masculino, casei com 21 anos, pensava que os meus desejos e pensamentos eram apenas fantasias malucas. Vivo num eterno conflito comigo mesmo. Às vezes penso que vou explodir, tenho desejos fortes incontroláveis, já pensei em me assumir, mas ao mesmo tempo tenho muito medo em tomar uma decisão precipitada.

Muitas pessoas apresentam conflitos que resultam das suas opções não serem coerentes com os seus desejos internos. Ao contrário do que alguns pensam a orientação sexual não é uma opção mas um processo interno que se define ao longo do desenvolvimento do individuo. Os desejos e fantasias do leitor apontaram desde cedo para uma direcção homossexual que foi mesmo concretizada e posteriormente transformada numa fantasia para que pudesse viver de acordo com o que era esperado por si socialmente.

Esta condição a que muitos se submentem acaba por causar grande sofrimento para a pessoa e sentimentos contraditórios. O indivíduo sente-se desonesto consigo mesmo e com os outros o que provoca um descomforto permanente e a sensação duma vida dupla. Paradoxalmente, o desejo reprimido acaba por ser muito dificil de tolerar levando a que muitos individuos optem por enfrentar os obstáculos inerentes à assunção duma orientação sexual diferente.

O leitor deverá ponderar sobre as consequências de se assumir ou não se assumir numa perspectiva da sua vida futura como um todo. Viver de uma forma mais autêntica consigo mesmo implicará relações mais autenticas com os outros e desde logo coragem para enfrentar as mudanças que necessáriamente irão ocorrer. Por outro lado, as pessoas que gostam verdadeiramente de si permanecerão próximas. As pessoas que não o aceitarem, transportarão porventura outro tipo de conflitos ou preconceitos alheios à sua decisão. Será vantajoso o leitor recorrer a apoio psicoterapeutico, leituras sobre o tema e mesmo procurar o apoio de familiares ou amigos com quem possa partilhar as suas preocupações. Apesar das dificuldades para gerir este processo, os sentimentos de alívio, liberdade e maior congruencia justificam os meios para alcançar os fins.

Anúncios

3 thoughts on “Vida Dupla

  1. tenho 17 anos sou solteira, minha vida estar em conflito, na rua sou amante, em casa sou filhinha da mamãe, o cara que eu to falando, ele é muito ruim comigo ele briga comigo fala o que queer, mais eu ñ consigo me livrar dele nem quero fazer isso, pois amor ele, e ele nem tem noção do quanto, eu amo ele, as vezes ele me fas bem, mais as vezes ele diz que eu ñ sou nada pra ele nem sei mais o que fazer, to desesperada , aconteceu uma coisa, com o casamento dele, ele disse que ñ vai mudar nada, mais eu sei que vai. presiço de ajuda!!

    • Cara Leidiane tem de reflectir se vale a pena estar com uma pessoa que a maltrata e que está comprometido com outra pessoa, não demonstrando que deseja alterar esta situação. Aliás o seu amante acaba por ser muito agressivo para si provavelmente porque está em conflito relativamente ao que quer e ao que sente, provavelmente sentimentos de culpa. Não me parece que esta pessoa esteja disponível para si e manter um relacionamento desta natureza só pode ser destrutivo para si.

  2. Essas coiisa de vida dupla e mt complicada .. mais eu acho se ama realente deixa a vidaa levar vooc … o importante e amar `_`

Os comentários estão fechados.